Obama comanda funeral de pastor

Obama comanda funeral de pastor

postado em 27/06/2015 00:00
 (foto: Mandel Ngan/AFP)
(foto: Mandel Ngan/AFP)


Com um discurso apaixonado contra a discriminação, encerrado ao som do hino gospel Amazing grace, o presidente Barack Obama comoveu os fiéis que assistiram em Charleston (Carolina do Sul) aos funerais do pastor Clementa Pinckney, um dos nove mortos da chacina de uma semana atrás na Igreja Metodista Episcopal Africana Emanuel. Sem mencionar o nome do assassino, o supremacista branco Dylann Roof, 21 anos, Obama classificou-o como uma pessoa ;cega pelo ódio;, incapaz de imaginar a reação dos familiares das vítimas quando as confrontou no tribunal. ;Em meio a uma dor inenarrável, o receberam com palavras de perdão;, disse o presidente. ;Ele não poderia enxergar a graça que rodeava o reverendo e o grupo de estudos bíblicos, a luz de amor que se mostrou quando abriram as portas da igreja e convidaram um estranho a se unir às orações.;

Obama aproveitou para abordar a polêmica em torno dos símbolos escravistas ainda cultuados em estados do sul dos EUA, como a bandeira usada pelas forças confederadas na guerra civil do século 19 ; deflagrada em resposta à abolição da escravatura pelo presidente Abraham Lincoln. O presidente saudou a governadora Nikki Haley, da oposição republicana, pela decisão de remover o estandarte da frente do capitólio estadual. ;Por muito tempo, fechamos os olhos para a dor que essa bandeira traz ao nosso povo. É verdade que ela não causou os assassinatos, mas agora democratas e republicanos reconhecemos aquilo que já sabíamos: que essa bandeira representa mais do que o orgulho ancestral dos sulistas: para muitos, é uma lembrança da opressão racial;, discursou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação