Catedral Rainha da Paz terá ampliação subterrânea

Catedral Rainha da Paz terá ampliação subterrânea

postado em 01/07/2015 00:00
 (foto: Otávio Augusto/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Otávio Augusto/Esp.CB/D.A Press)


Quem passou pelo Eixo Monumental nos últimos dias notou que tapumes cercam a parte posterior da Catedral Militar Rainha da Paz. Trata-se da construção de um prédio anexo totalmente subterrâneo. A nova estrutura é parte do projeto de ampliação do santuário. Quando estiver pronto, o espaço terá um auditório com 140 lugares, oito salas, três banheiros, além de cozinha, cantina e um depósito. Segundo a igreja, a obra é totalmente financiada pelos fiéis. Pelo menos 600 caminhões de terra serão retirados do local. O escritório Oscar Niemeyer, responsável pelo serviço, estima que ele fique pronto em um ano. A alteração é acompanhada pelo GDF.

A Rainha da Paz recebe cerca de 12 mil pessoas na missa realizada no dia 25 de cada mês (aniversário mensal da padroeira, Nossa Senhora Rainha da Paz). O pároco Silas Pereira Viana diz que a estrutura atual não comporta a comunidade e as atividades realizadas no local. ;O Centro Pastoral será uma oportunidade para desenvolvermos melhor os nossos projetos sociais. Hoje, nosso espaço não é suficiente. Os banheiros, por exemplo, não atendem a demanda;, argumenta.

Foram quatro anos para que o projeto saísse do papel. A área da construção foi cedida por dom Geraldo Ávila, então ordinariado militar do Brasil, em meados do ano 2000. ;Tivemos que preparar o projeto, reunir a documentação e procurar os órgãos reguladores para a liberação da obra, e isso levou tempo;, completa o padre Silas.

Para a realização do serviço, todos os fiéis foram mobilizados. A secretaria-geral da paróquia criou o ;Carnê da Obra;. Cada pessoa contribui durante um ano com valor acessível. ;Foi a forma que encontramos para realizar a obra. Não temos apoio de empresas, governos ou qualquer outra fonte de recursos. É uma obra do povo de Deus;, diz o religioso.

A professora aposentada Fátima Vilela, 61 anos, frequenta o santuário há seis anos e aprova a ampliação. ;Aqui vem muita gente. Quanto maior a possibilidade de atendimento, melhor. Vários projetos da pastoral são desenvolvidos e atendem pessoas carentes, e isso é também um avanço para essa comunidade;, analisa.

A movimentação no templo chamou a atenção de motoristas. O servidor público Fernado Mattos, 48 anos, estava curioso para saber o que era. ;A gente passa aqui todo dia, qualquer mudança faz diferença. Temos a paisagem decorada na memória;, afirma. ;O que é isso? A cidade está curiosa;, gritou outro condutor ao Correio.

Nos conformes

O alvará de construção foi cedido pela Administração de Brasília em 2014. Segundo o órgão, a obra não fere a regulamentação do Código de Edificações. Com base nesse documento, o cercamento e a limpeza do terreno devem ser feitos pelo proprietário. O Instituto Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan) informou, em nota, que a construção é de conhecimento do órgão. ;A superintendência realizou uma vistoria no local das obras e o projeto está em análise;, afirma o texto.

Para acompanhar a construção, a Agência de Fiscalização (Agefis) promete fazer vistorias nos próximos dias. ;Não sabemos do que se trata e também não temos o conhecimento de nenhum tipo de autorização, os auditores passarão no local para averiguar as documentações necessárias;, informou, em nota. A Secretaria de Gestão do Território e Habitação (Segeth) não se manifestou.

Cláudio José Pinheiro Villar de Queiroz, especialista em descaracterização de Brasília e planejamento urbano, descarta a alteração da paisagem. ;A obra deve estar dentro de previsões do crescimento da necessidade da igreja. Inicialmente, não é nada que altere a compostura do monumento ou a paisagem do local;, afirma.

O pároco Silas garante que, quando a reforma estiver concluída, a edificação não será percebida. ;Como tudo é subterrâneo, vamos replantar a grama, e a vista do monumento e daquele espaço será a mesma;, complementa.

Para saber mais

Abençoada pelo papa

A Catedral Militar Rainha da Paz está localizada próximo ao Setor Militar Urbano (SMU). Sua arquitetura em formato triangular remete a uma barraca de campanha e foi projetada por Oscar Niemeyer. A pedra fundamental foi abençoada pelo papa João Paulo II em 1991, durante visita pontífice ao Brasil. Na entrada, uma grande cruz recebe os fiéis. No interior, um altar simples, com bancos largos. Do lado de fora, uma praça acolhe fiéis para orações aos pés de uma grande imagem da santa. A catedral foi inaugurada em 12 de setembro de 1994, tendo como padroeira Nossa Senhora Rainha da Paz. Desde a inauguração, a cada dia 25, é realizada uma missa especial em homenagem a ela.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação