ARI CUNHA

ARI CUNHA

Desde 1960 Visto, lido e ouvido aricunha@dabr.com.br com Circe Cunha / circecunha.df@dabr.com.br

postado em 01/08/2015 00:00


O Brasil não está preparado
para o envelhecimento
da população

Pesquisadores que há anos estudam o perfil social do país são unânimes em constatar que o ritmo acelerado e crescente de envelhecimento da população brasileira, fenômeno que ocorre simultaneamente à redução do crescimento da população, provocará, em poucos anos, uma profunda modificação na realidade socioeconômica da nação.

Pior é que, diante do quadro que está por vir, o Estado ainda não está preparado para os novos desafios que se anunciam. A questão se resume numa equação simples de armar, mas de difícil solução. De um lado, cresce o número de idosos, que demandarão maiores esforços e gastos da Previdência. De outro, a diminuição da população acarretará também a redução daqueles que contribuem para o sistema, desequilibrando, assim, uma balança que já vinha apresentando problemas anteriormente.

Alguns analistas alertam que essa nova realidade vai requerer, no mínimo, um crescimento do PIB da ordem de 3,3% ao ano. Para uma economia em processo de recessão acentuada, a conta parece não fechar nem a médio prazo. Estimativas da Segurança Social dos Estados Unidos preveem que, mesmo com regras mais rigorosas, a bomba explodirá em breve. Para se ter uma ideia, em 15 anos o envelhecimento da população causará um deficit superior a R$72 bilhões ao sistema.
Hoje, o número de pensionistas no sistema norte-americano de Previdência recebe cerca de 5% do PIB ((em reais, R$ 1,4 trilhão). As previsões para 2018 são de R$ 4 trilhões com pagamento previdenciário. Jeffrey Brown ensina a conta: ou os impostos aumentam, ou os benefícios diminuem. Vale ressaltar que os aposentados americanos pagam imposto sobre os rendimentos seguindo as alíquotas de quem está na ativa. Ninguém por lá pensou em estimular nascimentos.

O quadro atual no Brasil aponta para uma falência generalizada nos sistemas de amparo da Previdência, o que pode pôr em risco o futuro de toda uma geração de trabalhadores. À primeira vista, a solução para o dilema dessa equação seria a adoção de políticas visando incentivar o nascimento de mais crianças (contribuintes ativos), ao mesmo tempo em que seriam revertidos, para cima, os índices de crescimento econômico. Como nem uma coisa nem outra vem sendo feita, o resultado aponta para um futuro bastante nebuloso.


A frase que foi pronunciada

;Pessoas jovens e bonitas são
acidentes da natureza; pessoas idosas
e bonitas são obras de arte.;

Eleanor Roosevelt


Pardais

; Argumento bem fundamentado contra multas do Detran e do DER são os pardais estrategicamente colocados com velocidades abaixo da necessária, apenas para multar. Se a redução de velocidade é obrigatória para a segurança dos motoristas, quando um pardal que limitava em 60km/h passa a limitar em 50km/h, ou em uma pista em que a exigência passa de 80km/h para 50km/h ou 60km/h, a instalação do aparelho é claramente feita por má-fé.

Violência

; Foi chocante ver as imagens de uma ação policial no Setor Primavera, entre Taguatinga e Samambaia. A ação da Agefis e da polícia contra invasões precisa ser preventiva. Um casal não quis sair do barraco. A porta foi arrombada com um chute do policial. Saem primeiro a mulher, com uma criança no colo, e uma menina. Quando o homem da casa aparece leva um chute e cai. Ação completamente desnecessária.

Queremos Uber

; Brasília foi um exemplo de futuro que despertou fé e incredulidade. Agora é preciso reconhecer: o Uber é o táxi do futuro. Acabou o corporativismo. Atendimento de excelência, rapidez, confiabilidade, preço pago antes da corrida. É tudo o que a população quer. Quanto ao exercício ilegal da profissão, é melhor abrir os olhos. O conceito está mudando.

Mais futuro

; Aliás, é interessante observar que, com o advento da internet, a mão do Estado vai ficando mais vazia de impostos cobrados. Uma loja física paga aluguel, água, luz, IPTU; se for comprada, paga ITBI, etc. Com uma loja na internet as contas a pagar são mínimas.

CulturArte

; Cristiane Bukowitz, diretora de Gestão de Pessoas e Administração do BRB, comemora os novos contratos em cultura e esporte. A cidade ganha mais quando os artistas são daqui. O CulturArte é um projeto recente e bastante elogiado.

Cuidado

; Ao deixar um bilhete no carro de uma senhora que estacionou na vaga de deficiente, o cidadão imbuído de um controle social desmedido não imaginava a repercussão do ato. Há dezenas de doenças que dão autorização para o uso de vagas para deficientes. Nem em todas o motorista precisa estar em uma cadeira de rodas. Foi o caso citado. Com esclerose múltipla, a motorista mostrou à imprensa como se sentiu ofendida.




História de Brasília

Aliás, a portaria eficiente é trabalho do Maurílio Santos,
antigo contínuo do general Dutra, ao tempo do Ministério da
Guerra. Eleito presidente, o marechal levou Maurílio para o Catete, e dali para o Planalto, onde presta eficiente serviço. (Publicado em 20/8/1961)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação