Famílias cortam tudo que podem

Famílias cortam tudo que podem

postado em 08/08/2015 00:00
A inflação entrou com tudo na casa dos brasileiros. Pesquisa realizada pela Kantar Worldpanel mostra que 71% das famílias notaram que os gastos aumentaram este ano e 97% delas se veem obrigadas a procurar alternativas para contornar o problema. Os esforços têm sido feitos em todas as classes e em todas as áreas. ;Os resultados indicam que essa atitude independe da classe social. De A a E, todo mundo tem precisado conter os gastos;, ressaltou Camila Torelli, gerente de Expert Solutions da Kantar Worldpanel.

A carestia não perdoa. Tanto que as diferenças nas mudanças de hábitos são visíveis. Enquanto os integrantes das classes A e B estão comendo menos fora de casa e evitando gastar com salão de beleza, as mudanças feitas pelas classes D e E são mais voltadas ao pagamento de dívidas e à contenção de financiamentos. ;Neste ano, as pessoas estão mais endividadas, e quem tem menos poder aquisitivo sente mais os efeitos no bolso. Nas classes D e E, também se vê diminuição de despesas com vestuário e passeios, mas a maior preocupação tem sido com o endividamento;, explicou Camila.

Em geral, os cortes têm atingido dos cuidados pessoais aos itens básicos do dia a dia, como supermercado e transporte. Produtos como a cebola, com alta acumulada no ano de 155%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), praticamente saíram do prato dos brasileiros. Também caiu o consumo de ovos, cujos preços subiram 15,52% neste ano. ;Os consumidores estão ficando mais seletivos, pois não há como acomodar todos os gastos no orçamento familiar;, disse o economista-chefe da Itaim Asset, Ivo Chermont.

Segundo Camila, vale de tudo para controlar gastos, como trocar o carro pelo transporte público. Para ela, as primeiras despesas abandonadas são as relativas a itens supérfluos, como roupas e calçados, mas o lazer também foi fortemente afetado. ;As pessoas têm diminuído alimentação fora de casa, passeios e viagens;, listou. Conter as despesas na área de comunicação, como rever os planos de telefone, internet e TV a cabo, também tem sido necessário para muitas famílias. (AA)



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação