Tubo de ensaio Fatos científicos da semana

Tubo de ensaio Fatos científicos da semana

postado em 08/08/2015 00:00
 (foto: David Gross/ASP - 23/5/15)
(foto: David Gross/ASP - 23/5/15)

; Segunda-feira, 3
Medida insuficiente


O emprego em massa de técnicas de captura de CO2 da atmosfera não vai parar a acidificação dos oceanos, um fenômeno que ameaça muitas espécies marinhas e perdurará por séculos, diz um estudo publicado na revista Nature Climate Change. Mesmo que a concentração do gás de efeito estufa na atmosfera diminua para um nível semelhante ao de antes da Revolução Industrial, a acidificação dos mares pode não seguir o mesmo caminho por centenas de anos. As conclusões atingem os defensores dos combustíveis fósseis, que acreditam que a captura e armazenamento de carbono em larga escala no futuro vai estabilizar, e mesmo diminuir, a concentração de carbono na atmosfera. Os autores do estudo acreditam, no entanto, que essa medida deve ser desenvolvida em paralelo aos esforços drásticos para reduzir as emissões.


; Quarta-feira, 5
Remédio impresso

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) autorizou o primeiro medicamento fabricado com uma impressora 3D, informou o laboratório Aprecia Pharmaceuticals, que produz pílulas solúveis para tratar crises de epilepsia. A companhia, com sede em Oslo, informou em um comunicado que o sistema de impressão 3D pode produzir doses com até 1.000mg por comprimido. A FDA já havia aprovado a comercialização de materiais médicos, como próteses, fabricados por impressoras 3D. O laboratório prevê desenvolver outros medicamentos por meio da tecnologia tridimensional nos próximos anos, segundo o comunicado.


; Terça-feira, 4
Política nos genes

Um estudo publicado na revista da Royal Society britânica revela que há um vínculo entre a genética e as preferências políticas. A pesquisa, liderada por Richard P. Ebstein, da Universidade de Cingapura, analisou o genoma de 1.771 estudantes universitários da etnia Han, a principal da China, e encontrou uma associação entre uma variante genética e a tendência política. Segundo os pesquisadores, o gene DRD4, que tem um papel na transmissão da dopamina, pode interferir nessas opções, especialmente entre mulheres. A dopamina influi em funções neurológicas como memória, aprendizagem e criatividade. O estudo destaca que as tendências políticas de cada um também dependem de fatores conjunturais e educativos. ;Todos esses fatores devem ser levados em conta para entender as diferentes sensibilidades políticas (...), e a biologia não pode ser ignorada;, observaram.


; Quinta-feira, 6
Vacina contra a dengue

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou a liberação comercial de organismos geneticamente modificados (OGMs) para vacina contra dengues 1, 2, 3 e 4 atenuadas. A vacina usa o próprio vírus da dengue, modificado por engenharia genética. Assim, abriu-se o caminho para o ensaio de fase 3, quando a eficácia será testada em voluntários de todo o Brasil. O produto deverá ser aplicado em aproximadamente 20 mil pessoas de todos os estados e do Distrito Federal. ;Nosso objetivo é começar a produzir a vacina comercialmente no fim de 2017 e início de 2018;, afirmou Paulo Lee Ho, diretor de Produção do Instituto Butantan.


Mapa das ormigas

A Universidade de Hong Kong apresentou o primeiro mapa da divisão mundial de formigas, uma iniciativa que busca, segundo os autores, esclarecer o universo dos insetos. O mapa, interativo, colorido e disponível on-line (antmaps.org), mostra onde estão cerca de 15 mil espécies de formigas. O projeto é liderado por Benoõt Guénard, professor da Faculdade de Biologia e Ciências da Universidade de Hong Kong (HKU), e Evan Ecomo, professor do Instituto de Ciências e Tecnologia de Okinawa. Os insetos integram ;um dos principais grupos em torno dos quais devemos nos concentrar quando se trata de biodiversidade;, disse Guenard. O mapa ajudará, segundo o pesquisador, a fornecer dados importantes sobre a vida dos insetos no mundo e poderia incentivar a pesquisa e a conservação de espécies animais. Ele será atualizado em função das descobertas de novas espécies de formigas. ;Descobrimos formas de vida a cada semana, e isso é o mais assombroso;, disse Guénard.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação