Drops digitais

Drops digitais

postado em 24/08/2015 00:00
 (foto: Guillermo Granja/AFP - 30/8/12)
(foto: Guillermo Granja/AFP - 30/8/12)
; Estradas elétricas
Recarga de automóvel

O governo do Reino Unido estuda implantar um sistema nas suas rodovias que pode recarregar os automóveis enquanto eles circulam. A tecnologia, conhecida como ressonância magnética acoplada, é usada em alguns modelos de transmissão de eletricidade sem fios e, inclusive, foi testada há dois anos em estradas coreanas. Os testes do novo sistema começam no fim do ano e, dependendo dos resultados, o modelo poderá ser instalado em ruas. A ideia não pretende eliminar os postos de gasolina, mas facilitar a vida dos motoristas de veículos elétricos. Como uma bateria dura menos do que um tanque de gasolina, existe a constante preocupação de que a energia não será o suficiente para chegar a um posto de recarga. Com a pista elétrica, esses carros teriam um pouco mais de força para garantir as viagens mais longas. Em testes controlados, o sistema mostrou uma eficiência de transferência de energia de 75%.

; Software liberado
Falando como Stephen Hawking

A Intel liberou o acesso gratuito ao software usado por Stephen Hawking (foto) para se comunicar, apesar de uma grave condição médica que impede seus movimentos. O autor de Uma breve história do tempo sofre de esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença degenerativa sem cura, e, há quase 20 anos, recorre a programas e equipamentos desenvolvidos pela Intel. A plataforma ACAT usa dicas visuais para receber comandos, que podem ser o simples movimento dos olhos ou, no caso de Hawking, algo muito mais discreto como a contração do músculo da bochecha. O sistema funciona com qualquer PC comum ligado a uma webcam, mas sua interface não é acessível ao usuário comum. Ao publicar gratuitamente o software, a Intel espera que o programa seja estudado por especialistas de todo o mundo que possam, talvez, colaborar com o projeto e desenvolver novas funções para ele. Para isso, a companhia já tem planos de estabelecer parcerias com universidades e desenvolvedores.

; Streaming
Apple Music perde usuários

Apenas dois meses depois do lançamento, o serviço de streaming Apple Music pode estar perdendo quase metade dos seus membros. De acordo com uma pesquisa feita pelo site MusicWatch, 48% dos usuários do programa virtual de música da Apple deixaram o serviço. O levantamento ouviu 5 mil consumidores norte-americanos e indica que o abandono ao serviço musical pode crescer em breve: 61% dos entrevistados que continuam usando o streaming da Apple optaram por não renovar o registro assim que acabarem os três meses gratuitos de teste. A pesquisa também mostrou que apenas 77% dos usuários do sistema iOS conhecem o Apple Music e somente 11% chegaram a testá-lo, um índice similar ao de pessoas que costumavam pagar por faixas no iTunes.

; Ranking mundial
SP, a cidade mais infiel

Com a invasão do site canadense Ashley Madison, os dados pessoais de mais de 34 milhões de usuários foram divulgados em domínio público. A lista revela os nomes e outras informações de internautas que se cadastraram no serviço em busca de sexo extraconjugal, o principal objetivo do site de relacionamentos. Os dados também mostraram que São Paulo (foto) é a cidade com o maior número de membros na página canadense de infidelidade, com 374.554 usuários. A maioria desses usuários, de acordo com o levantamento feito pela empresa espanhola Tecnilógica, é formada por homens: 86,2% dos paulistas registrados no site são do sexo masculino. Em segundo lugar no ranking das mais de 50 mil cidades atendidas pelo Ashley Madison, está Nova York, com 268.247 inscritos, seguida por Sydney, com 253.860 membros. Os dados dos registrados do site foram tornados públicos no último dia 19 por um grupo de hackers autodenominado Impact Team, que revelou que a empresa de encontros extraconjugais balanceava seus registros com milhares de perfis falsos de mulheres.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação