Dinheiro para dar e vender

Dinheiro para dar e vender

Janela europeia supera a barreira dos 3 bilhões de euros e aumenta abismo em relação ao Brasil

postado em 03/09/2015 00:00
 (foto: Tobias Schwarz - 31/5/15)
(foto: Tobias Schwarz - 31/5/15)

A primeira janela de transferências da temporada 2015/2016 do futebol europeu fechou na terça-feira e, pela primeira vez na história, o valor investido passou dos três bilhões de euros. Os clubes do Velho Continente têm superado a cada temporada a capacidade de investimento em proporções muito maiores que os times brasileiros. Levantamento do Correio mostra que, desde 2005, o dinheiro gasto com transferências de jogadores no país só cresceu 68%. Enquanto isso, mais do que triplicou do outro lado do Oceano Atlântico.

A disparidade entre os gigantes europeus e os times brasileiros sempre existiu, mas, nos últimos 10 anos, tem se tornado cada vez maior, ou seja, na contramão da crise financeira pela qual passam alguns países. Segundo o coordenador do laboratório de pesquisa de gestão do esporte da UnB, Paulo Henrique Azevêdo, Brasil e Argentina não conseguem acompanhar o ritmo de investimento europeu por várias razões. ;O motivo é a falta de organização e profissionalismo dos dirigentes dos times sul-americanos;, aponta. Para ele, os clubes europeus são muito bem organizados e, por isso, a crise de 2008 não teve impacto algum no futebol.

;Na Europa, a gestão é extremamente profissional, com pessoas muito preparadas e qualificadas, diferentemente do Brasil;, compara Paulo Henrique Azevêdo. O especialista enfatiza a importância da gestão interna em um clube. ;Aqui, os dirigentes não se dedicam exclusivamente aos clubes, como na Europa. Eles realizam outras atividades;, critica.

Azevêdo acredita que, enquanto os dirigentes do futebol europeu trabalham pensando no futuro ; investem massivamente nas categorias de base, têm os melhores estádios do mundo, excelente estrutura, atentam-se aos interesses do público e procuram manter uma relação positiva com torcedores ;, os brasileiros são imediatistas, preocupam-se apenas com resultados a curto prazo. Assim, a possibilidade de não dar certo é enorme.

Como no Velho Continente as competições são mais organizadas, elas geram renda. ;Lá, o bom atendimento é assegurado, o lugar é preservado. Aqui, saímos aborrecidos do estádio por causa da falta de planejamento e de estrutura;, critica Azevêdo. Toda a renda gerada com o grande espetáculo que é o futebol europeu faz com que sejam possíveis contratações milionárias, propostas cada vez mais altas. ;Os números das transferências são assustadores, totalmente absurdos;, ressalta.

Depois de rumores que apontavam uma oferta de R$ 770 milhões do Manchester United para Neymar, Arturo Vidal deu sua opinião sobre o mercado de transferências, e não poupou críticas aos montantes que estão sendo negociados. ;Os valores das atuais transferências são ridículos. Um jogador, para ter uma produção ao nível do que o clube pagou por ele, teria de marcar três ou quatro gols por jogo;, destacou o jogador em entrevista na semana passada à rádio ADN. ;Na minha opinião, os jogadores deveriam custar muito menos;, completou. Vale lembrar que o Bayern de Munique pagou cerca de 40 milhões de euros à Juventus pelos direitos de Vidal.


Quanta diferença

Compare em bilhões de euros o montante investido em contratações
BRASIL

2015 ; 76,6 (R$ 312,8)
2005 ; 36,2 (R$ 186)

Aumento de 68%
EUROPA

2015/16 ; 3,0 (R$ 12,5)
2005/06 ; 1,0 (R$ 4,0)

Aumento de 207,5%

Ranking

As 5 maiores transações da janela europeia


Jogador Posição Valor Clube de origem Novo clube
(em milhões
de euros)
Kevin De Bruyne Meia 74 Wolfsburg M. City
Ángel Di María Meia 63 M. United Paris SG
Raheem Sterling Atacante 62,5 Liverpool M. City
Anthony Martial Atacante 50 Monaco M. United
Christian Benteke Atacante 46,5 Aston Villa Liverpool

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação