Para marcar terreno (continuação)

Para marcar terreno (continuação)

postado em 03/09/2015 00:00
 (foto: Hyundai/Divulgação)
(foto: Hyundai/Divulgação)


Desalinhos


O iX35 tinha tudo para ser um carro excelente. A versão top esbanja tecnologia. Além disso, o carro é grande, alto, bonito, chamativo e moderno. Mas deixa a desejar em um quesito: a direção. O conjunto mecânico não acompanha a qualidade dos outros itens. Mesmo com um forte motor e um câmbio automático de seis velocidades, o carro é lento, qualquer subida na estrada gera um grande esforço do motor, assim como na necessidade de redução de marcha faz o giro subir a 5.500rpm e o carro urrar ; com o tempo, o barulho se torna um incômodo para o motorista.
Os aborrecimentos com ruídos não param no motor. Ao enfrentar chuva, mesmo as mais finas, o atrito do vento em conjunto com a água gera um irritante ruído nos vidros laterais, que lembra uma goteira, passando a impressão de molhar o interior do carro. A acústica do veículo deixa a desejar, já que o som passa para a cabine, gerando um desconforto desnecessário para os ocupantes.
O espaço interno é outro problema do iX35. O SUV alinha bem com o atual momento vivido pela maioria dos veículos nacionais e importados, no qual quatro adultos viajam com folga, mas um quinto ocupante gera aperto e desconforto aos passageiros do banco traseiro. Era de se esperar que, por ser um carro de grande porte, o sul-coreano não seguisse essa tendência e oferecesse mais conforto.


Acertos


Deixando de lado pequenos defeitos, o porta-malas é digno de um carro deesse porte, com 728 litros ; um dos maiores da categoria ; não falta espaço no bagageiro. E, se ainda assim, o motorista precisar de mais capacidade, basta rebater o banco traseiro que surgem mais 2157 litros, chegando a 2885.
Além disso, o acabamento e os materiais utilizados no SUV são excelentes. Mesclando elementos macios e rígidos, ambos suaves ao toque. Na versão top, o ar-condicionado dual-zone, o teto solar duplo e os detalhes em couro dão um maior requinte.


Ficha técnica

Motores
2.0 DOHC 167cv (e) a 6.200rpm e torque de 20,6kgfm (e) a 4.700rpm e 157cv(g) a 6.200rpm e torque de 19,2kgfm (g) a 4.700rpm

Transmissão
Automática de 6 velocidades

Direção
Elétrica

Porta-malas
728 litros
Dimensões
4.410mm de comprimento; 1.820mm de largura; 1.655mm de altura; e 2.640mm de entre-eixos

Suspensão
Independente tipo Mc Pherson na dianteira, e tipo Dual-link na traseira

Pneus
225/55 R18

Freios
Disco na dianteira e tambor na traseira



Concorrentes


Honda HR-V
Motor: 2.0
Potência máxima: 155cv (e) e 150cv (g)
Torque máximo: 19,5kgfm (e) e 19,3kgfm (g)
Direção: elétrica
Combustível: etanol/gasolina
Transmissão: automática de 5 velocidades
Peso: 1.579kg
Porta-malas: 589 litros
Tamanho (A x L x C): 1.655 x 1.820 x 4.580mm
Preço: a partir de R$ 134,9 mil


Mitsubishi ASX
Motor: 2.0
Potência máxima: 160cv
Torque máximo: 20,1kgfm
Direção: elétrica
Combustível: gasolina
Transmissão: CVT sequencial de 6 velocidades
Peso: 1.385kg
Porta-malas: 409 litros
Tamanho (A x L x C): 1.627 x 1.780 x 4.295mm
Preço: a partir de R$ 94,4 mil


Kia Sportage
Motor: 2.0
Potência máxima: 178cv (e) e 169cv (g)
Torque máximo: 21,8kgfm (e) e 20,4kgfm (g)
Direção: elétrica
Combustível: etanol/gasolina
Transmissão: automática de 6 velocidades
Peso: 1.417kg
Porta-malas: 740 litros
Tamanho (A x L x C): 1.635 x 1.855 x 4.445mm
Preço: a partir de R$ 124,9 mil

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação