À espera do papa, Cuba anuncia indulto

À espera do papa, Cuba anuncia indulto

postado em 12/09/2015 00:00
 (foto: Adalberto Roque/AFP 9/4/13)
(foto: Adalberto Roque/AFP 9/4/13)





A uma semana da chegada do papa Francisco, o regime comunista de Cuba anunciou ontem o mais numeroso indulto desde a revolução de 1959, como gesto de ;boa vontade; que foi recebido com ;profunda satisfação; pela Igreja. A medida, que deveria ter efeito no prazo de 72 horas, beneficiará 3.522 presos, selecionados de acordo com ; a natureza dos fatos pelos quais foram condenados, seu comportamento na prisão, o tempo de cumprimento da sanção e razões de saúde;.

;O Conselho de Estado da República de Cuba, por ocasião da visita de Sua Santidade, o papa Francisco, e assim como aconteceu quando nos visitaram os Sumos Pontífices João Paulo II e Bento XVI, acordou indultar 3.522 sancionados;, diz o anúncio publicano no Granma, o diário do Partido Comunista de Cuba. ;Entre os indultados, se destacam pessoas com mais de 60 anos de idade, jovens com menos de 20 anos sem antecedentes penais, doentes crônicos, mulheres e vários que se aproximavam do prazo estabelecido para a liberdade condicional, em 2016.;

;Com essa ação misericordiosa, antecipam-se os frutos que a visita do papa Francisco (...) nos deixará, para o bem-estar de todo o nosso povo;, diz um comunicado da Conferência dos Bispos Católicos de Cuba. O indulto anunciado ontem foi o segundo sob o comando de Raúl Castro, que em 2006 substituiu o irmão Fidel. Em dezembro de 2011, antecipando-se à visita de Bento XVI, Raúl ordenou a libertação de 2.991 detentos. Em janeiro último, no marco da decisão de retomar as relações diplomáticas com os Estados Unidos, o presidente cubano indultou 53 prisioneiros que, segundo Washington, cumpriam pena por delitos políticos.

De acordo com informação divulgada pelo Granma, em maio de 2012, o país tinha na ocasião pouco mais de 57 mil detentos. Formalmente, nenhum deles era reconhecido como preso político. Entre os que serão indultados agora incluem-se condenados que ;cumprem pena e trabalham em regime aberto;. No caso dos estrangeiros, o Ministério das Relações Exteriores cubano coordenará, com as respectivas embaixadas, ;as medidas que deverão ser adotadas para a saída;.

Francisco, apontado como artífice da histórica reconciliação, selada após meio séculos de hostilidades, desembarca no próximo sábado em Havana. A viagem reafirma a posição destacada que a Igreja ocupa na mediação entre o regime comunista, a oposição interna e os críticos externos desde 1998, quando João Paulo II tornou-se o primeiro pontífice a visitar a ilha.

A estada em Cuba foi incluída no roteiro da primeira visita do pontífice aos Estados Unidos, para onde o papa seguirá no dia 22. Além de um encontro com o presidente Barack Obama, no dia seguinte, o roteiro do pontífice nos EUA inclui um discurso perante a Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York.

Obama prorroga autoridade extra

O presidente Barack Obama prorrogou por mais um ano o poder executivo de que desfruta para lidar com as sanções impostas a Cuba pelos Estados Unidos, no marco da Lei sobre Comércio com o Inimigo, de 1917. A medida, que permite a Obama alterar o regime de restrições sem depender de aval do Congresso, passa a vigorar até 14 de setembro de 2016. Com base no dispositivo, o presidente pôde facilitar as viagens entre os dois países, a remessa de dinheiro para a ilha e a importação de produtos cubanos.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação