Orçamento não terá cortes

Orçamento não terá cortes

postado em 13/09/2015 00:00
 (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press - 23/4/13)
(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press - 23/4/13)
O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, garantiu que, apesar do ajuste fiscal que vem sendo feito pelo governo federal, não haverá cortes no orçamento da pasta para investimentos em mobilidade urbana. ;Haverá deslizamentos ou alterações de prazos, mas não cortes;, disse, em evento promovido pela Associação Nacional das empresas de Transporte Urbano (NTU). ;A economia passa por dificuldades, mas pode melhorar. O que está sendo reduzido em termos de orçamento este ano pode ser compensado nos próximos;, disse, alertando que os problemas da mobilidade urbana não se resolvem em ;um, dois ou cinco anos;.

Kassab informou que o ministério investirá este ano R$ 70 bilhões na ampliação, revitalização e criação de metrôs no país. Investimentos do ministério em infraestrutura para o transporte público chegarão, segundo o ministro, a R$ 60 bilhões, em corredores de ônibus, transporte rápido por ônibus (BRT), trens, aeromóvel, monotrilho e veículos leves sobre trilhos.

O anúncio do ministro agradou o setor. ;Cenário de crise econômica e ajuste fiscal não é motivo nem serve de discurso para impedir ou cessar investimentos em mobilidade urbana;, disse o presidente da NTU, Otávio Cunha. ;Ao contrário, é um alerta para que se façam mais e melhores investimentos. O preço de não investir é mais alto do que investir. A falta de prioridade ao transporte coletivo traz outros impactos sociais;, disse, referindo-se aos prejuízos causados pelos congestionamentos.

O setor atravessa uma crise de perda de passageiros. Em 2014, a queda foi de 2%, segundo a NTU, o que significa cerca de 300 mil passageiros por dia. A diminuição, segundo Cunha, é causada pelos congestionamentos e pela lentidão do sistema. ;É preciso ampliar os investimentos em sistemas estruturais e melhorar as condições operacionais dos ônibus comuns, para que tenham prioridade nas vias e consigam ganhar maior velocidade;, diz.

A implantação das faixas exclusivas para ônibus em São Paulo permitiu queda de 40 minutos nas viagens, de acordo com a Companhia de Tráfego do município. (WBF)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação