Rei Abdullah faz alerta a Israel

Rei Abdullah faz alerta a Israel

postado em 15/09/2015 00:00
 (foto: Ahmad Gharabli/AFP)
(foto: Ahmad Gharabli/AFP)



Pelo segundo dia consecutivo, palestinos e policiais israelenses se enfrentaram ontem na Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, o que motivou uma censura dos Estados Unidos e uma advertência do rei Abdul-lah, da Jordânia. ;Qualquer nova provocação em Jerusalém afetará as relações entre Jordânia e Israel (...) A Jordânia não terá outra saída a não ser tomar medidas, lamentavelmente;, afirmou o monarca, em inglês, após um encontro com o primeiro-ministro britânico, David Cameron. O reino é o guardião da Esplanada das Mesquitas, segundo o status quo de 1967.

Como aconteceu no domingo, as forças de segurança entraram na mesquita de Al-Aqsa, o terceiro local mais sagrado do Islã, para, segundo autoridades isralenses, evitar que os jovens muçulmanos reunidos cercassem os judeus.Os confrontos explodiram na Esplanada. Os muçulmanos se entrincheiraram dentro da mesquita protestando pelos acessos ao local, também venerado pelos judeus, que o chamam de Monte do Templo.

;Quando a polícia entrou no complexo, jovens encapuzados fugiram para dentro da mesquita e lançaram pedras;, destacou um comunicado de Israel. Segundo a polícia, cinco manifestantes foram detidos na Esplanada. Outros quatro ativistas foram presos em confrontos entre as forças de segurança e os manifestantes nas ruas próximas da cidade antiga de Jerusalém. A polícia usou bombas de efeito moral, ao mesmo tempo em que avançava contra manifestantes e jornalistas para tentar dispersar a multidão.

O receio dos muçulmanos é que Israel tente mudar as normas de administração do local, estimulado por grupos de extrema-direita judeus que exigem um acesso maior ou até mesmo a construção de um novo templo. Os não muçulmanos têm permissão de visitar a Esplanada, mas os judeus estão proibidos de rezar ou exibir símbolos nacionais no local, uma medida para evitar ainda mais tensão com os muçulmanos. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que a condição será respeitada.

O governo dos Estados Unidos condenou ;todos os atos de violência; no local e pediu a Israel e à Autoridade Palestina que evitem atos de provocação. O porta-voz do Departamento de Estado americano, John Kirby, manifestou ;profunda inquietação; e chamou israelenses e palestinos a preservar o status quo na ultrassensível Esplanada das Mesquitas.

;É absolutamente essencial que todas as partes atuem com moderação, se abstenham de atos de provocação e retórica e mantenham inalterado o histórico statu quo no Haram Al Sharif (Monte do Templo), de palavra e na prática;, destacou Kirby.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação