Passaporte para a faculdade privada

Passaporte para a faculdade privada

Usado no ingresso nas universidades públicas, exame tem sido critério de seleção para algumas instituições particulares. Candidatos são atraídos por bolsas e financiamentos

» Isabela Bonfim Especial para o Correio
postado em 15/09/2015 00:00
 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)






Principal meio para ingressar em universidades públicas, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também é aceito por instituições privadas e tem encontrado cada vez mais adesão no Distrito Federal. As faculdades usam a prova como parte do processo seletivo ou substituem completamente o vestibular tradicional pela nota. ;O perfil do aluno que faz o Enem com o intuito de ingressar em faculdade privada é, em maioria, de escola pública e de renda mais baixa. São estudantes incentivados pelas oportunidades de bolsa e financiamento estudantil;, explica Alexandre Crispi, diretor da rede educacional Alub.

Interessado em trabalhar na área esportiva, Raphael de Jesus, 19 anos, quer estudar fisioterapia ou educação física. ;O ideal era na universidade pública, mas quero passar logo, e a faculdade particular é mais uma opção.; Ele terminou os estudos no Centro de Ensino Médio Setor Leste, no ano passado, e começou o cursinho preparatório este semestre. ;No Enem, há essa vantagem de fazer uma prova e concorrer a várias faculdades;, explica. Ele vai avaliar as opções conforme o resultado no exame, mas tem preferência pelo UniCeub.

Fabiano de Andrade, secretário adjunto do UniCeub, concorda que o uso do Enem no processo seletivo traz comodidade. ;É mais uma oportunidade para o aluno.; A instituição aderiu ao Enem pela primeira vez este semestre, oferecendo as 186 vagas restantes dos dois vestibulares realizados. Para concorrer, o candidato pôde apresentar o resultado do Enem realizado desde 2012 com nota superior a 250 pontos. De acordo com o secretário, o sistema deve ser mantido nos próximos anos, mas não vai substituir completamente o vestibular tradicional. ;Não podemos usar apenas o Enem, porque temos interessados que saíram da escola há mais de 10 anos e não tiveram a oportunidade de fazer a prova;, justifica.

Para o vice-reitor do centro universitário Iesb, Edson Sousa, o Enem como processo seletivo é uma vantagem também para a instituição. ;Quando abrimos o período de matrículas, já temos a listagem de alunos e o ranking;, explica. Além do vestibular agendado, o Enem é aceito como método de seleção na instituição desde 2013. É preciso que o candidato tenha realizado a prova nos últimos dois anos e obtido nota superior a 300 pontos. Segundo o vice-reitor, a adesão vem crescendo. No último semestre, 30% dos matriculados ingressaram com a nota do Enem. ;Está crescendo bastante. Imagino que um dia não precisaremos do vestibular, os alunos vão apenas apresentar a nota do Enem.;

Financiamento

O que tem tornado o Enem um chamariz para quem deseja ingressar em faculdade particular não é apenas a comodidade, mas as oportunidades de bolsas e financiamentos do governo. Para concorrer a bolsas no Programa Universidade para Todos (ProUni) ou liberação do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), é preciso ter nota superior a 450 pontos no Enem e não zerar a redação. O estudante Raphael acredita que esse será mais um auxílio para dar continuidade aos estudos. ;A bolsa ajuda a inserir a pessoa pobre no ensino superior. Meu pai e meu avô não fizeram faculdade porque não tinham dinheiro para se preparar ou para pagar o curso;, conta.

Para Talia Ferreira, 18 anos, conseguir uma bolsa é fundamental. Os pais não têm condições de arcar com os custos de uma faculdade particular. Ela terminou o ensino médio no Centro Educacional 02 de Planaltina, no ano passado, e faz curso preparatório para o Enem desde fevereiro. ;Na escola, não havia preparação para o vestibular, tanto que precisei recorrer ao cursinho;, conta. Ela tentou uma vaga para psicologia na Universidade de Brasília (UnB) no meio do ano, mas não foi aprovada. O objetivo agora é conseguir uma boa colocação no Enem e tentar a bolsa do ProUni. ;Se eu tirar uma boa nota, posso conseguir até uma bolsa integral. É uma grande oportunidade para quem não pode pagar.;

Como usar o Enem para estudar nas particulares
Instituições particulares

Informações diretamente com a instituição. Em geral, as faculdades determinam uma nota mínima e aceitam notas de exames antigos.

ProUni
Concede bolsas de 50% e 100%. Para concorrer, é preciso ter participado da última edição do Enem e cursado o ensino médio em escola pública ou em particular com bolsa integral. Critérios: nota final superior a 450 pontos no Enem e nota na redação maior do que zero; renda familiar bruta inferior a três salários mínimos per capita.

Fies
Concede financiamento da mensalidade da faculdade com taxa de juros de 6,5% ao ano. Para concorrer, é preciso ter participado do Enem em 2010 ou posteriormente e já estar matriculado na faculdade. Critérios: nota final superior a 450 pontos no Enem e nota na redação maior do que zero; renda familiar bruta inferior a 2,5 salários mínimos per capita.

Fonte: Ministério da Educação (MEC) e Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)

24.735
É o número de contratos do Fies firmados no DF em 2014



10.192
É a quantidade de bolsas concedidas pelo ProUni no DF o primeiro semestre de 2015




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação