Tantas palavras

Tantas palavras

Por José Carlos Vieira Esta seção circula de terça a sexta cartas: SIG, Quadra 2, Lote 340 / CEP 70.610-901
postado em 15/09/2015 00:00

Tempo

(Em memória de Evandro Magalhães e de Stuart Angel)

Dizei-me em tempo o que é o tempo, Senhor.
Antes de cruzar a ponte, Ensinai-me:
Linha reta de eterna agonia?
Bússola na encruzilhada?
Sim, o sorriso de uma menina nascida na luz de agosto,
e de um menino junto à flor de maio.

E o vento?
O espaço?
O mar?


Meus mortos não me respondem, Senhor.
Tempo: não o retenho ;
areia da praia que escapa das mãos.

Lapso no cosmos,
cometa errante,
eu sei, Senhor, assim sou:
pretérito menino contemplando a gaivota,
sentado num trapiche.


Emanuel Medeiros Vieira

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação