Tensão, saudade e solidão

Tensão, saudade e solidão

Em Para minha amada morta, o diretor Aly Muritiba carrega nas cores do drama

postado em 15/09/2015 00:00
 (foto: Grafo Audiovisual/Divulgação)
(foto: Grafo Audiovisual/Divulgação)


Para minha amada morta, uma produção paranaense, conta a história de Fernando. Depois da morte da esposa, Ana, o policial exemplar Fernando, vivido por Fernando Alves Pinto, tornou-se uma pessoa ensimesmada, introvertida. Tem como foco a criação do filho, o pequeno Daniel. Neste drama com toques de thriller psicológico, Aly Muritiba revela a obsessão de um homem apaixonado e até onde ele pode ir.

Todos os dias, Fernando põe o filho para dormir e tenta resgatar lembranças da companheira arrumando as coisas que ela deixou. Passa o tempo fugindo dos avanços de sua cunhada recém-divorciada. Um dia ele encontra uma fita VHS, e a vida do policial sofre uma reviravolta.

O elenco
Fernando Alves Pinto, Mayana Neiva, Michelle Pucci, Lourinelson Vladmir, Giuly Biancato e Vinicius Sabbag. Classificação indicativa:16 anos

O diretor
Aly Muritiba é roteirista, produtor e diretor cinematográfico, dirigiu sete curtas-metragens, um telefilme e um longa-metragem, com os quais já conquistou mais de 100 prêmios em festivais de cinema.

Suas principais realizações são: os curtas A fábrica, vencedor de mais 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais menção honrosa em Clermont-Ferrand, semifinalista do Oscar 2013, e Pátio, vencedor do É Tudo Verdade, Festival Internacional de Documentários.

O roteiro do longa O homem que matou a minha amada morta recebeu o Global Filmaking Award do Sundance Institut em 2013. Tarântula, seu mais recente curta-metragem, foi selecionado para a competição no IFF Veneza de 2015.


PROGRAMAÇÃO (dia 18)
9h30
Cine Brasília
1; Festival de Filme de curta-metragem
das escolas públicas de Brasília
Abertura e exibição dos filmes selecionados

10h
Teatro Newton Rossi (Sesc Ceilândia), Teatro Paulo Autran (Sesc Taguatinga), Teatro Paulo
Gracindo (Sesc Gama) ; escolas agendadas da rede pública do DFFestivalzinho ; livre
Mostra de filmes de curta-metragem com temática infantil em parceria com a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis

11h
Kubitschek Plaza Hotel, acesso livre
Debate com as equipes dos filmes das
mostras competitivas exibidos na noite
anterior no Cine Brasília

14h30
Kubitschek Plaza Hotel, acesso livre
Master class de roteiro, com Marcos Bernstein
Cine Cultura Liberty Mall, sala 4
Mostra Competitiva (reprise)
Tarântula, de Aly Muritiba, Marja Calafange,
20min, PR (16 anos)
Rapsódia para o homem negro,
de Gabriel Martins, 24min, MG (12 anos)
Fome, de Cristiano Burlan, 90min, SP (10 anos)

17h
Cine Brasília, entrada franca
Mostra Brasília - Troféu Câmara Legislativa do DF
A culpa é da foto, de Eraldo Peres da Silva,
15min (livre)
O sal dos olhos, de Letícia Bispo, 18min (12 anos)
Escuro do medo, de João Gabriel Caffarelli,
17min40 (14 anos)
Félix, o herói da Barra,
de Edson Fogaça, 72min (Livre)
Cine Cultura Liberty Mall, sala 4
Mostra Panorama Brasil
Através, de André Michiles, Diogo Martins
e Fábio Bardella, 105 min, SP (16 anos)

18h30
Arapuanga, Planaltina ; Praça do Colégio Dna. América, Quadra 10K, Conj. C ; acesso livre
Exibição de filmes pelo Cinema Voador
Mário Fontenelle: a oração silenciosa,
de Pedro Jorge de Castro, 2014 (livre)
Tapete vermelho, de Luiz Alberto Gal Pereira,
2005 (livre)

19h
Cine Cultura Liberty Mall, sala 4
Mostra Continente Compartilhado
Ausência, de Chico Teixeira,
Brasil/Chile/ França, 2014 (Livre)

20h30
Cine Brasília Mostra Competitiva
Cidade nova, de Diego Hoefel, 14min, CE/DF (12 anos)
Copyleft, de Rodrigo Carneiro, 29min30, MG (18 anos)
Para minha amada morta,
de Aly Muritiba, 113min, PR (16 anos)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação