Corra porque ainda dá tempo

Corra porque ainda dá tempo

A menos de quatro meses da prova, especialistas explicam o que deve ser feito por quem quer disputar

postado em 17/09/2015 00:00
 (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)


Depois de quase 90 dias parada, a professora Ana Elisa Rocha Machado, de 49 anos, voltou a pisar no chão há cerca de dois meses. Ela iniciou com caminhadas frequentes, mesmo sem estar totalmente recuperada da fratura sofrida em abril. O objetivo dela era voltar a correr, feito que conseguiu em agosto. ;Tive que começar do zero;, conta. Aos poucos, vai se esquecendo da dor que sente no pé após ter quebrado três dedos. E o que pode parecer desanimador, para ela é mais um desafio a ser superado. Quando descobriu a corrida, em 2013, Ana Elisa driblou asma, sobrepeso e depressão. Reaprendendo a correr, se prepara para a prova de 15km da São Silvestre, em São Paulo, em 31 de dezembro.

Ana Elisa é uma entre as milhares de pessoas, atletas e amadores, dispostas a encarar a maior e mais emblemática corrida de rua do Brasil, que fará a 91; edição neste ano. Cruzar a linha de chegada é um sonho já conquistado por muitos, mas que representa um verdadeiro desafio para iniciantes.

A professora candanga provou a sensação no ano passado pela primeira vez e quer repetir. Começar a correr a poucos meses da competição, no entanto, requer disciplina. ;A barreira respiratória, eu consigo vencer. O trabalho maior é com a cabeça;, explica Ana Elisa.

O Correio conversou com treinadores de corrida e nutricionistas para saber o que deve ser feito por quem quiser colocar os tênis agora, como Ana Elisa, para começar a se preparar. As inscrições ainda não começaram, e a assessoria do evento não soube informar a data em que serão abertas, então, ainda há tempo.

O técnico da professora, Nirley Braz, que coordena a Equipe X, diz que é possível iniciar os treinos agora. Para isso, ele conversa com aluno e busca conhecer as limitações de cada um. O primeiro passo é realizar exames médicos. O treinador Andrei Achcar explica que traçar o perfil do atleta torna-se fundamental para conhecer o histórico de saúde e esportivo do indivíduo. Se após um checape a pessoa estiver apta a praticar exercícios para encarar uma São Silvestre, o segundo passo fica mais fácil: basta querer. ;Quem nunca correu e tem vida sedentária, vai precisar de muito mais dedicação e disciplina;, afirma.

Por conta disso, alguns treinadores acreditam não ser conselhável começar a preparação agora para fazer a prova no fim do ano. ;Vai muito além de correr e completar a distância;, alerta um deles, Tiago Cardoso. Para ele, a adaptação do corpo exige ao menos seis meses se a pretensão for uma prova de 15km. Caso contrário, uma má preparação pode gerar lesões que, segundo o especialista, arriscam prejudicar a vida inteira do corredor. ;Mas, para o iniciante que quer curtir a prova, no ritmo bem leve, dá para fazer um treino e completá-la sem se preocupar;, defende o técnico Lucas Gualberto.

Preparação

Para se preparar, não bastar correr. Andrei Achcar explica que o condicionamento visando a São Silvestre pode ser adquirido por meio de musculação e alongamento. O importante é que o trabalho ocorra sem sobrecarregar as articulações. Assim, deve estar aliado com uma alimentação equilibrada.

Renato França, especialista em nutrição esportiva e funcional, recomenda consumir alimentos como frutas e cereais até meia hora antes dos treinos e cuidar da hidratação. Devem ser evitados bebidas alcoólicas em excesso, frituras e alimentos com calorias vazias, ou seja, ricos em açúcares e pobres em nutrientes.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação