Alta roda

Alta roda

por Fernando Calmon fernando@calmon.jor.br
postado em 17/09/2015 00:00
Segurança mais acessível

Pesquisas na área de eletrônica voltadas à segurança preditiva darão vida aos veículos de direção autônoma a partir de 2020

Eletrônica de bordo voltada à segurança preditiva ; capaz de prever um possível acidente ; foi o ponto de partida para as pesquisas que darão vida aos veículos de direção autônoma a partir de 2020. Embora muitas questões ainda precisem ser resolvidas, inclusive de legislação de trânsito e responsabilidade civil, alguns recursos já estão disponíveis e tendem a ser oferecidos não apenas em veículos premium ou de topo de gama.

Um exemplo é o controle ativo inteligente de velocidade de cruzeiro (i-ACC, na sigla em inglês), com capacidade de prever e reagir automaticamente no caso de outro carro ameaçar sair da sua faixa repentinamente, manobra mais conhecida como ;fechada;. Quando isso ocorre em uma rodovia, pode causar acidentes graves em cadeia, envolvendo vários veículos e colocando vidas em jogo.

A Honda anunciou que ainda este ano colocará, na versão europeia do crossover médio-compacto CR-V, o primeiro dispositivo desse tipo. Utiliza câmera e radar para analisar o tráfego à frente na estrada, como em outros ACCs. O recurso adicional de segurança vem de um algoritmo desenvolvido em situações reais de trânsito por estradas de toda a Europa para prever o que acontece nas faixas de circulação em torno.

O i-ACC age cinco segundos antes da efetiva invasão de faixa e aciona levemente os freios por precaução, além de avisar ao motorista por meio de um ícone iluminado no quadro de instrumentos. Se a ameaça se tornar verdadeira e o motorista demorar a reagir, os freios são aplicados para valer, de forma automática, até se restabelecer a distância de segurança prevista no controlador ativo de cruzeiro.

A calibração foi desenvolvida para o sistema atuar sem sobressaltos e reduzir praticamente a zero os riscos de colisão, algo essencial no projeto de direção autônoma ou semiautônoma que a maioria, senão todos os fabricantes, pretende oferecer.

Outro caminho foi explorado pela Bosch, em colaboração com a Land Rover. Desenvolveu-se uma câmera de vídeo estéreo, conjugada a um sistema de frenagem emergencial, que dispensa o uso de radar ou a combinação deste com sensor de vídeo. Lentes sensíveis à luz e tecnologia tridimensional permitem cobrir um campo de visão horizontal de 50 graus e até 50 metros à frente, a fim de evitar acidentes em ambiente urbano.

Graças à captação de imagens em 3D, o cálculo para acionar os freios emergencialmente é mais preciso, independe de outros sensores e também pode identificar pedestres, em uma evolução posterior, para evitar atropelamentos. Outro avanço está nas dimensões compactas inéditas: a distância entre os eixos ópticos das duas lentes é de apenas 12 cm. As unidades de controle de dados e processamento de imagens estão integradas em um único bloco que cabe no interior do espelho retrovisor central, sem afetar o campo de visão normal do motorista.

A compacta câmera de vídeo estéreo, antes só disponível em automóveis grandes e caros, agora ficou mais acessível e integra a lista de opcionais do sucessor do Freelander II, o novo Discovery Sport, menor dos crossovers e SUVs da marca inglesa. Este é um dos modelos que serão fabricados no Brasil, em Itatiaia (RJ).


Roda viva

VENDAS BAIXAS

O aumento dos estoques totais de veículos de 50 dias (julho) para 52 dias (agosto) continua a preocupar. E, enquanto a produção caiu 17% em um ano, o nível de emprego nos fabricantes só reduziu em 10%, ou seja, ociosidade elevada. Outros 17.000 empregos se esvaíram, resultado de 347 concessionárias parando de faturar (balanço líquido entre aberturas e fechamentos).

TORO 2016
A Fiat decidiu que nova picape média Toro será lançada apenas no início de 2016. Provável causa: flacidez do mercado. Será o primeiro modelo a transportar 1.000 kg em estrutura monobloco e suspensão traseira independente para conforto de marcha superior. Fotos vazadas mostram tampa da caçamba bipartida (menor peso) de abertura vertical.

KIA RIO
O início de produção da nova fábrica Kia no México, no primeiro semestre de 2016, proporciona rara conjugação dos astros em termos de lançamentos. Afinal, apresentar o hatch compacto Kia Rio, nos dias que precedem ou sucedem as Olimpíadas do Rio, é quase certeza. O modelo tem linhas arrojadas e tudo a ver com o segmento mais importante do mercado.

CASA NOVA
Confirmado o que esta coluna previu na edição 806, de 14 de outubro de 2014: Salão do Automóvel de São Paulo muda-se do complexo do Anhembi para o São Paulo Expo (antigo Centro de Exposições Imigrantes, ampliado, climatizado e com maior estacionamento coberto do País). Investimento de R$ 300 milhões é o mesmo aqui antecipado. Data do evento passa para 10 a 20 de novembro de 2016.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação