A tragédia se repete

A tragédia se repete

Jovem invade universidade em área rural do Oregon, abre fogo contra estudantes e é abatido pela polícia. Irritado, Obama volta a defender leis mais rígidas para o controle de armas

postado em 02/10/2015 00:00

O presidente Barack Obama voltou a manifestar inconformismo e revolta com mais um massacre promovido por um atirador, desta vez em uma universidade no estado de Oregon, no noroeste dos Estados Unidos (veja mapa). Um jovem de 20 anos, cuja identidade não foi confirmada, invadiu na manhã de ontem a Faculdade Comunitáriam Umpqua, na zona rural de Rosburg, abriu fogo e acabou sendo morto pela polícia. No início da noite, o balanço oficial das autoridades locais mencionava 10 mortos, incluindo o atirador, e ao menos sete feridos. Vários estariam em estado grave, entre eles uma mulher, atingida no peito.


;De alguma forma, isso virou rotina;, desabafou Obama, na Casa Branca, onde reiterou a defesa de uma legislação mais rígida para controlar o comércio e o porte de armas de fogo. ;Realmente, podemos fazer algo a respeito, mas teremos de mudar as nossas leis;, insistiu o presidente. ;Não pode ser assim tão fácil para alguém que quer ferir outras pessoas conseguir uma arma.; Sem esconder a frustração com a sucessão de tiroteios, o presidente repisou a mensagem que tem repetido ;cada vez que uma coisa assim acontece;: ;Nossos pensamentos e nossas orações simplesmente não bastam;.


A tevê americana mostrou imagens da polícia cercando o câmpus e revistando os estudantes que deixavam o local, atemorizados pelo massacre. De acordo com o xerife de Rosburg, John Hanlin, os agentes que atenderam aos primeiros chamados de emergência ;localizaram o agressor em um dos prédios;. Na troca de tiros, segundo Hanlin, ;o suspeito foi abatido;. O xerife confirmou inicialmente apenas que se tratava de ;um homem de 20 anos de idade;. Ele disse não ter elementos para confirmar rumores de que o atirador teria anunciado a intenção de cometer o ataque nas redes sociais, na noite anterior. ;Não ouvi comentários sobre isso.;


Além de revistar os estudantes que deixavam o edifício, os policiais pararam vários ônibus escolares, enquanto buscavam localizar e neutralizar o atirador. Segundo relatos, ele teria se movido de sala em sala, metodicamente, disparando contra os estudantes. Marilyn Kittelman, mãe de um aluno, contou que o filho se escondeu em um anexo do prédio e lhe mandou uma mensagem pelo celular, contando sobre o tiroteio. De acordo com Marilyn, o rapaz disse ter ouvido mais de 30 disparos.


;Essa é uma cidade pequena, e praticamente todos nós temos parentes que estudam aqui;, comentou o bombeiro Ray Shoufler, que participou das operações. ;É o tipo de lugar onde todo mundo se conhece, Uma coisa dessas afeta muita, muita gente por aqui.;

Controle
Em seu pronunciamento, Barack Obama lamentou que, na última década, incidentes de violência armada como o de ontem nos EUA tenham deixado ;mais mortos do que atos de terrorismo;. Depois de lembrar que existe no país ;aproximadamente uma arma de fogo para cada homem, mulher e criança;, o presidente questionou os adversários de uma legislação mais rígida: ;omo é que alguém pode argumentar que mais armas nos deixam mais seguros?;


Como fez reiteradamente em situações semelhantes, Obama voltou a criticar os congressistas que se opõem a uma reforma na legislação federal sobre armas de fogo. ;Temos um Congresso que, explicitamente, nos impede sequer de coletar informações sobre como podemos reduzir as mortes violentas;, disse, sem esconder a irritação.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação