Grito contra a intolerância

Grito contra a intolerância

Festival Abre Caminhos celebra a união do universo religioso com a cultura, além de shows, debates e oficinas

Adriana Izel
postado em 31/10/2015 00:00
 (foto: Beto Figueiroa/Divulgação)
(foto: Beto Figueiroa/Divulgação)










O Festival Abre Caminhos tem um fim de semana agitado na Praça dos Orixás, no Setor de Clubes Sul. O evento promove, por meio da música, debates e oficinas que discutem a violência e a intolerância religiosa. A maior intenção é valorizar a sonoridade de matrizes africanas e afro-brasileiras. ;É uma satisfação estar num festival no início do mês da celebração da consciência negra que exalta essa cultura de origem africana;, comenta Guitinho, vocalista do grupo pernambucano Bongar, uma das atrações da festa.

Serão mais dois dias de programação gratuita, com shows, rodas de conversa e oficinas. Hoje, a grande expectativa é pela presença da cantora baiana, radicada no Rio de Janeiro, Glória Bomfim. A artista vem a Brasília com o show Santo e orixá, que dá nome ao disco de estreia com canções de Paulo Cesar Pinheiro mimetizadas com a temática do candomblé lançado em 2007, mas relançado recentemente.

Antes da apresentação prevista para às 22h30, a artista participará de um bate-papo para contar sobre sua trajetória musical. A roda de conversa será às 18h. O dia ainda contará com Renata Jambeiro, que no próximo mês lança o terceiro disco da carreira, chamado Fogaréu; Daniel Mioju e Teresa Lopes.

Intercâmbio cultural
Amanhã é a vez do grupo Bongar roubar a cena no festival. Formado por Guitinho (vocal), Iran Caxinho (vocal e alfaia), Beto Black (vocal e ganzá), Nino do Bongar (vocal e abê), Memé Bongar (vocal, congas e ilú) e Thúlio (vocal e caixa), o sexteto apresentará repertório que retrata o cotidiano religioso da casa de Xambá, terreiro do Quilombo do Portão do Gelo, em Olinda.

Criada em 2001, a banda surgiu com a intenção de levar a religiosidade para diferentes lugares. ;Vamos tocar as músicas dos nossos três discos ; 29 de junho (2006), Chão batido coco pisado (2009) e Festa do terreiro (2012) ; e também algumas do nosso próximo álbum, que será lançado no ano que vem;, revela Guitinho.

O grupo também ministrará duas oficinas, que começam às 16h de domingo, sobre toques tradicionais da Xambá e de dança. ;A Xambá é uma comunidade muito específica e tem suas particularidades das outras nações do candomblé, como é o caso do coco, dos cantos e das danças;, explica o vocalista Nino.

Neste domingo, o festival recebe ainda Ogans para roda de conversa sobre a tradição religiosa e o cenário da música brasiliense, com foco no samba; além do grupo Adora Roda ; composto por Breno Alves, Kadú Nascimento, Guto Martins, Tito Silva e Vinícius de Oliveira ; que terá participação especial da cantora Cris Pereira.



Festival Abre Caminhos
Praça dos Orixás (Setor de Clubes Sul). Hoje, às 18h; e amanhã, às 16h. Com show de Glória Bomfim, Renata Jambeiro, Teresa Lopes, Bongar, Adora Roda e Cris Pereira. Entrada franca. Não recomendado para menores de 12 anos.


Programe-se

Hoje


18h Roda de conversa: Experiência e trajetória musical com Glória Bomfim

19h Barracão com Daniel Mioju

21h Renata Jambeiro

22h30 Glória Bomfim

0h Teresa Lopes

Amanhã

16h Oficina de toques tradicionais da Nação Xambá com Coco da Jurema e Bongar

16h30 Oficina de dança com Coco da Jurema e Bongar

17h Roda de conversa: Ogans e o samba ; Tradição religiosa e o cenário da música brasiliense

19h Bongar

20h30 Adora Roda com participação de Cris Pereira

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação