Devastação ambiental

Devastação ambiental

postado em 09/11/2015 00:00
Além de provocar a interrupção da captação de água no Rio Doce em municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo, a avalanche de lama que vazou após o rompimento das barragens da Samarco, na quinta-feira, e chegou a um dos mais importantes rios do Sudeste do país, tem deixado um rastro de destruição ambiental por onde passa. Moradores de cidades vizinhas foram para as redes sociais denunciar a morte de peixes e de animais ao longo da Bacia do Rio Doce.

O problema foi registrado com maior intensidade nas proximidades do Parque Estadual do Rio Doce, no Vale do Aço, uma das mais importantes áreas de preservação ambiental do estado. Segundo internautas que publicaram a denúncia nas redes sociais, dourados, curimbatãs, traíras e até um pirarucu, peixe natural da Bacia Amazônica, com aproximadamente 21 quilos, foram encontrados mortos às margens do rio, abaixo da Ponte Queimada, entre o parque e o município de Pingo D;Água. Também foi encontrada uma tartaruga de água doce.

Em nota, a mineradora disse que ;está mobilizando todos os esforços necessários para priorizar o atendimento aos atingidos pelo acidente e mitigar os danos ambientais;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação