Vitória dá fôlego ao Vasco

Vitória dá fôlego ao Vasco

postado em 09/11/2015 00:00
 (foto: Alê Vianna/Eleven/Agência O Globo)
(foto: Alê Vianna/Eleven/Agência O Globo)

Angústia maior do que a corintiana vai viver o torcedor do Vasco, enterrado na zona de rebaixamento desde a quarta rodada do Brasileirão. Pela primeira vez no returno, o cruz-maltino encerra um fim de semana com a esperança de sair do Z-4 no jogo seguinte. A distância para o Avaí, primeiro time a se salvar no momento, está em apenas dois pontos.

Batendo o Palmeiras em São Paulo, ontem, para voltar a vencer após cinco partidas seguidas com tropeços, o time carioca pôde contar com o tropeço de todos os outros concorrentes na luta contra a queda. Dos outros cinco últimos colocados, o melhor resultado foi o do Joinville, lanterna, que empatou sem gols com o Joinville. Avaí, Coritiba, Figueirense e Goiás perderam.

No início da partida no Allianz Parque, os dois times abusaram dos erros de passe e não conseguiam fazer jogadas ofensivas trabalhadas. Tanto que o primeiro chute a gol ocorreu apenas aos 25 minutos, quando Serginho fez linda jogada individual e chutou da entrada da área, facilitando a defesa de Fernando Prass. Ao lado, Nenê ficou reclamando para o companheiro, que poderia ter passado a bola.

Esse lance foi o estopim para o Vasco começar a gostar do jogo. Com três jogadores no ataque ; Rafael Marques, Barrios e Gabriel Jesus, sendo que o primeiro tentava articular as jogadas no meio ; e com dois meias mais criativos do que defensivos ; Zé Roberto e Robinho ;, o Palmeiras tinha dificuldade para roubar a bola e pressionar o time carioca. Do lado oposto, com um sistema de marcação eficiente, o cruz-maltino conseguia levar mais perigo. Aos 34, Rafael Silva recebeu pela esquerda e chutou forte, mas Prass espalmou. Na cobrança de escanteio de Nenê, a defesa alviverde ficou olhando e o próprio Rafael Silva marcou de cabeça, abrindo o placar.

A partir daí, o Vasco sabia que o lado emocional faria diferença. O Palmeiras continuava sem se encontrar em campo, apático para reagir. Não demorou para o time carioca fazer o segundo. Aos 40, Nenê aproveitou uma bobeira da zaga do Palmeiras, apareceu sozinho na frente de Prass e tocou por cima do goleiro para ampliar o marcador num golaço.

Após o intervalo, o técnico Marcelo Oliveira decidiu mexer no ataque, colocando Kelvin e Alecsandro, mas o problema não era na frente e sim no meio. Foi quando Fellype Gabriel estreou, entrando no lugar de Egídio. Só que, sem inspiração, o Palmeiras não incomodava nem arriscava a gol. No fim, derrota para o Vasco e muitas vaias da torcida. Agora, só o título da Copa do Brasil será capaz de salvar o ano alviverde.


PALMEIRAS 0 x 2 VASCO

PALMEIRAS 0

Fernando Prass; João Pedro, Jackson, Vitor Hugo e Egídio (Fellype Gabriel); Thiago Santos, Robinho e Zé Roberto; Rafael Marques (Kelvin), Barrios (Alecsandro) e Gabriel Jesus
Técnico: Marcelo Oliveira

VASCO 2
Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Serginho, Diguinho, Andrezinho e Nenê (Rafael Vaz); Rafael Silva (Julio dos Santos) e Riascos (Éder Luis)
Técnico: Jorginho

Gols: Nenê e Rafael Silva
Cartões amarelos: Jackson, Riascos, Serginho, Madson e Luan
Público: 28.800 pagantes
Renda: R$ 1.775.008
Árbitro: Anderson Daronco (RS)


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação