Do Oriente para o mundo

Do Oriente para o mundo

postado em 13/11/2015 00:00
 (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)



Antigamente, o uso da panela Wok ficava restrito a alguns países asiáticos, a exemplo da China. Com o crescimento do número de pessoas que optaram por uma alimentação saudável, aumentou a procura pelo utensílio oriental em todo o mundo, inclusive no Brasil. Fundo e largo, ele permite que os alimentos sejam cozidos por igual e com agilidade.

Na capital, algumas casas especializam-se em cozinhar usando a wok, entre as quais está a Let;s Wok, que mistura ingredientes que reforçam esses hábitos saudáveis a rapidez do fast-food.

O prato pode ser montado à escolha do cliente, que primeiro escolhe a base, entre yakissoba, macarrão integral ou sem glúten, arroz integral e outras opções (R$ 11,90).

;Todas as bases vêm com ovo, cenoura, repolho e cebolinha, refogado na panela com azeite ou óleo de gergelim;, explica a funcionária Fernanda Ferreira.

Depois, o glutão decide quais são os acompanhamentos, cobrados individualmente. Leve e nutritivo, o broto de feijão custa R$ 3,50.

Se preferir, o comensal pode ir direto ao ponto e optar por um combo da casa. O de número 4 tem macarrão integral, ovo, cenoura, repolho, cebolinha, brócolis, minimilho, camarão e broto de feijão ao molho de leite de coco com curry (R$ 25,30). Afim de manter a refeição mais leve? Peça um dos sucos naturais da casa. Manga, maracujá, mamão e detox de abacaxi (com couve, abacaxi e gengibre) figuram entre as alternativas (cada um custa R$ 4,90 ; 400ml).

À la espanhola

prato tradicional da cozinha espanhola, a paella marinera é mais uma receita feita em uma panela só. Um clássico camponês da Espanha, sobreviveu aos modismos da cozinha molecular, criação de chefs daquele país, e conquistou o mundo.

Numa enorme frigideira com nome homônimo ao da receita, os ingredientes são colocados um a um, respeitando o tempo de cozimento de cada fruto do mar ; ou, no caso da paella valenciana, também da carne de porco, de coelho e de frango.

A paella marinera (R$ 79) é servida aos sábados e domingos no Oliver. O prato é feito com arroz arbóreo mais pimentão vermelho, molho de tomate, camarão, lula, mexilhão e lagosta. Há uma segunda opção de serviço, além do à la carte: o bufê (a R$ 109 por pessoa), em que o cliente poderá servir-se à vontade.

Muitos em um só
a caldeirada de frutos do mar é um dos pratos servidos no La Tambouille. A casa, com uma culinária franco-italiana, aposta no prato como uma forma de misturar os sabores dos ingredientes em um preparo único.

;Refogamos em uma panela salmão, robalo, camarão, vôngoli, mexilhões, polvo e lula, cada um colocado no momento certo, para que a cocção de todos acabe junto;, explica Reginaldo Vieira, gerente da casa.

O preparo custa R$ 90 e o gerente explica que apesar de ser feitos em uma panela única, que reduz os custos, os ingredientes são muito caros. Vieira explica que os frutos do mar escolhidos têm sabor complementar, harmonizando o preparo que apesar de ter um sabor forte, é muito apreciado.

Outras sugestões que o gerente dá são o robalo à Cleópatra (R$ 90), peça do peixe grelhada servida com o molho e acompanhada pelo talharim da casa, ou a paleta de cordeiro (R$ 85), também acompanhada pela massa.

Para finalizar, a sugestão é a sopa de frutas vermelhas ; framboesa, amora, morango e cereja em conserva ; com sorvete de creme (R$ 20).

;Colocamos em uma frigideira as frutas batidas e0 açúcar, até ganhar consistência e acrescentamos o creme de leite fresco e o sorvete;, ensina o gerente.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação