Caymmi contemporâneo

Caymmi contemporâneo

Canções de Dorival ganham dramaturgia e arranjos eletrônicos no musical Quem vem pra beira do mar

Irlam Rocha Lima
postado em 13/11/2015 00:00
 (foto: Maira Barillo/Divulgação)
(foto: Maira Barillo/Divulgação)








A obra de um dos compositores fundamentais na história da música popular brasileira, Dorival Caymmi, serve de base para Quem vem pra beira do mar, musical que vai ser encenado de hoje a domingo.

O espetáculo conta a história de um homem que, no dia de Iemanjá, caminha pela praia e, enquanto preparara a oferenda, relembra Maria Amélia, seu grande amor.

O monólogo, criação do carioca Diogo Villa Maior, é baseado em composições de Caymmi, a partir das quais é contada a história do personagem, vivido pelo ator, dançarino e cantor Márcio Moura. Ele interpreta 20 canções, com arranjos contemporâneos, entre as quais Adeus, A jangada, Preta do acarajé e Só louco, acompanhado por André Siqueira (violão, guitarra e direção musical) e Léo Rugero (viola e atabaque).

;A concepção da peça foi um trabalho artesanal para encontrar uma história que partisse das canções selecionadas;, explica Villa Maior. ;Li as letras e ouvi as músicas várias vezes, durante um mês. Quis sair do formato padrão e pensar na música como parte da dramaturgia;, acrescenta.

SERVIÇO
Quem vem pra beira do mar

Musical protagonizado por Márcio Moura, com direção de Diogo Villa Maior, hoje e amanhã, às 20h, e domingo, às 18h. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15 (meia). Não recomendado para menores de 12 anos. Informações: 2109-2700.

Duas perguntas
Márcio Moura

Qual era a sua relação com a obra de Dorival Caymmi, antes do musical?
Conhecia os clássicos e até outras músicas que nem sabia serem de autoria dele. Para criar o personagem, busquei me aprofundar mais no universo do Caymmi, no tipo de interpretação dele.

Por que a escolha de Brasília para dar início à turnê da peça?
Isso tem a ver com o fato de já ter me apresentado bastante em Brasília, com a companhia ETC e Tal, pelo projeto Palco Giratório, do Sesc.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação