Escalas e movimento

Escalas e movimento

Galeria Alfinete recebe séries de João Angelini e Cecília Bona resultantes de pesquisas sobre a paisagem

Nahima Maciel
postado em 13/11/2015 00:00
 (foto: João Angelini/Divulgação)
(foto: João Angelini/Divulgação)




A alfinete Galeria recebe a partir de amanhã as exposições Entre-quadros, de João Angelini, e Terreno instável, de Cecília Bona, com trabalhos nascidos de longas pesquisas sobre o movimento e a paisagem. Angelini mostra uma parte das obras expostas no Itaú Cultural pelo programa Rumos, no ano passado.

São, particularmente, frutos de três séries nas quais o artista aprofunda a pesquisa de investigação das possibilidades da imagem em movimento. ;A busca é manipular o que seria a estrutura da imagem em movimento;, avisa o artista. ;Se o cinema caminha para esconder a unidade fílmica, para mim é interessante mostrar isso de maneira participativa no discurso poético.;

Em uma das séries, ele pensa a música visual. Em outra, é a descontinuidade fílmica que interessa, enquanto uma terceira traz objetos que Angelini chama de ;pré-cinema. São os processos mecânicos nos quais consigo realizar a imagem em movimento, processos holográficos, com espelho;, avisa.

Já o Terreno instável, de Cecília Bona, vem do arrebatamento pela paisagem durante uma residência de 20 dias em uma fazenda na Islândia. Em um conjunto de desenhos, fotografias e vídeos a artista mergulha na ideia de temporalidade, algo que salta aos olhos, segundo ela, quando se está diante de um território cheio de particularidades geográficas como o islandês.

;O impacto dessa paisagem para mim foi mais a questão das escalas. É um país muito jovem e você vê isso no solo, na lava que forma o chão;, explica a artista. ;Quase todos os trabalhos falam das escalas ampliadas que percebi por lá;. Por escalas, Cecília se refere tanto à imponência da paisagem quanto à comparação entre o tempo de existência da civilização e do próprio planeta Terra. ;São imensuráveis esse tempo e essa escala;, avisa.

Serviço
Entre-quadros

Exposição de João Angelini

Terreno instável
Exposição de Cecília Bona. Abertura amanhã, às 18h, na Alfinete Galeria (116 Norte, Bl. B, lj. 61). Visitação até 19 de dezembro, de quarta a sábado, das 15h às 19h30.


ROTEIRO

AMÉFRICA E CASULO

Centro Cultural Banco do Brasil (SCES, Tc. 02, lt. 22)
De hoje a domingo, das 9h às 21h. Instalações de Denise Milan que sintetizam a mudança da vida por meio das pedras. Gratuito. Classificação indicativa livre.

A SOCIEDADE CAVALIERI
Caixa Cultural Brasília, Galeria Vitrine (SBS Q. 4, lt. 3/4)
De hoje a domingo, das 9h às 21h. Exposição de gravuras de um grupo secreto de artistas europeus. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

A MÚSICA CANTA A REPÚBLICA
Museu dos Correios (SCS, Q. 4, Bl. A, 256)
Hoje, das 10h às 19h; Amanhã e domingo, das 12h às 18h. Entrada gratuita. Classificação livre.

DEITEI PARA REPOUSAR E ELE MEXEU COMIGO
Centro Cultural Banco do Brasil (SCES, Tc. 02, lt. 22)
Hoje, amanhã e domingo, das 9h às 21h. Pinturas do artista mineiro Fabio Baroli. Gratuito. Classificação indicativa livre.

ENTRE-QUADROS E TERRENO INSTÁVEL
Alfinete Galeria (CLN 116, Bl. B, lj. 61)
Amanhã, das 15h às 19h30. Exposições de Terreno instável, de Celina Bona, e Entre-Quadros, de João Angelini. Entrada gratuita. Classificação indicativa livre.

IMPRESSIONANTE: GRAVURAS E GRAVADORAS DA UNB
Casa da Cultura da América Latina (SDS Q. 4, Ed. Anápolis).
Até 17 de novembro, de segunda a sexta, das 10h às 18h. Exposição de alunas e professoras da UnB. O acervo inclui peças de produção atual e de gravadoras que marcaram a história do Departamento de Artes Plásticas da universidade.

PAISAGENS NATURAIS DA TURQUIA E A ARTE TURCO-ISLÂMICA
Sesc (SCS, Q. 2 Edifício Presidente Dutra)

Hoje, amanhã e domingo, das 8h às 20h. Exposição fotográfica com paisagens da Turquia e objetos de arte. Entrada gratuita.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação