Prisão pode ser estendida

Prisão pode ser estendida

postado em 28/11/2015 00:00
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estuda pedir neste fim de semana a prorrogação da prisão temporária do sócio controlador do banco BTG Pactual, André Esteves. O banqueiro foi detido na última quarta-feira. Se a medida não for estendida, ele poderá deixar a cadeia na próxima terça-feira. Fontes que acompanham o caso, contudo, acreditam, que a o prazo será renovado e Esteves continuará por mais algum tempo no presídio de Bangu 8, no Rio de Janeiro

Segundo as fontes, a decisão vai depender da análise dos documentos apreendidos na sede do BTG, em São Paulo, que serão confrontados com as informações levantadas nos últimos meses sobre as atividades do banqueiro.


André Esteves foi preso durante a 21; fase da Operação Lava-Jato, batizada de Passe Livre, que investiga ligações entre políticos e executivos no rastro do escândalo da Petrobras. As investigações apuram ainda suborno e doações para campanhas eleitorais.

No mesmo dia, foi preso o líder do PT no Senado, Delcício do Amaral, acusado de obstruir as investigações ao montar um plano de fuga para o ex-direto da estatal, Nestor Cerveró, para impedir que ele leve adiante o acordo de delação premiada fechado com o Ministério Público Federal. Esteve seria o financiador deste plano. As agências Fitch e Moody;s colocaram os ratings de do BTG Pactual em revisão para um rebaixamento após a prisão do banqueiro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação