Pequenos exploradores

Pequenos exploradores

postado em 28/11/2015 00:00
 (foto: Nasa/Divulgação)
(foto: Nasa/Divulgação)
Está chegando a hora! Na segunda-feira, representantes do mundo inteiro estarão em Paris para discutir o futuro do planeta. O Brasil está fazendo sua parte e anunciou que pretende diminuir as emissões de gases de efeito estufa, aquelas substâncias poluentes que estragam a camada de ozônio e deixam a Terra mais quente. Nesta semana, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou que mais de 500 milhões de crianças estão ameaçadas pelas alterações climáticas porque vivem em países que, frequentemente, sofrem com secas e inundações. Mas existe uma grande chance de isso mudar. Vamos torcer e cobrar.

Troca-se uma Lua por um anel
Extra, extra! Marte está perdendo sua maior Lua! Um estudo da Universidade da Califórnia mostrou que Phobos está caindo em direção à superfície do planeta vermelho. Em vez de provocar uma cratera imensa no chão marciano, é provável que o satélite se desintegre e se transforme em um anel, com os que circundam Saturno, Júpiter, Urano e Netuno. Os cientistas explicaram que, enquanto nossa Lua se afasta da Terra alguns poucos centímetros por ano, em Marte, Phobos aproxima-se do planeta. Apesar de inevitável, o evento não deve acontecer por agora. Provavelmente daqui a 20 milhões de anos, disseram os cientistas. Uma pena, porque eu estava louca para ver essa lua se transformar em anel!

Cachorros clonados
Quem já perdeu um animalzinho de estimação sabe como é triste dar adeus a nossos amigos peludos. Se pudesse, você teria um clone do seu pet? A empresa chinesa Boyalife anunciou que fechou uma parceria com a sul-coreana Sooam Biotech para começar a produzir clones no ano que vem. Serão vacas, cavalos e cachorros ;fabricados; em série. O centro de clonagem vai produzir cerca de 100 mil embriões de vacas, mas pretende chegar a um milhão por ano. A ideia é vender a carne para consumo. No caso dos cachorros, os cientistas produziriam os clones para donos que querem ter várias versões do bichinho. Até que seria bom ver um milhão de Bentinhos, meu cãozinho, correndo pela casa!

Avó da humanidade
Na terça-feira, o Doodle, aquela versão modificada da logo do Google, homenageou os 41 anos da descoberta da Lucy. Você já ouviu falar nela? Ela é conhecida por ser a ;avó da humanidade;. Trata-se de um fóssil de 3,2 milhões de anos, escavado em 1974 no deserto de Afar, na África. Ainda não era um ser humano, porque o homem moderno como nós conhecemos hoje só surgiu há mais ou menos 200 mil anos. Mas é nossa ancestral e já andava sobre duas pernas. O estudo de seus ossos mostra que ela era baixinha: 1,30m de altura. A espécie a que ela pertenceu chama-se Australopitecus afarensis. O nome Lucy tem uma origem curiosa: quando a escavou, o paleontólogo Donald Johanson estava escutando uma música dos Beatles chamada Lucy in the sky with diamonds. Parabéns, vovó!

My precious!
Se você já assistiu ao filme O senhor dos anéis, conhece o monstrinho Sméagol, aquele ser esquisitíssimo que vive nas Montanhas Sombrias. Pois o personagem criado pelo escritor J. R. R. Tolkien batizou uma nova espécie de opilião brasileiro, um tipo de aracnídeo de hábitos noturnos. Existem mil espécies de opiliões no Brasil, sendo que algumas vivem em ambientes subterrâneos. A Sméagol não tem olhos e jamais sai da caverna úmida onde vive. Os cientistas explicaram que deram o nome do monstrinho para ela porque, na história de Tolkien, Sméagol ficou enfeitiçado pelo anel e passou a viver escondido em uma caverna escura. O opilião brasileiro foi descoberto no fundo da Toca do Geraldo, uma caverna no centro-norte de Minas Gerais.

Experiência
Que tal dar uma de cientista maluco e fazer uma experiência? Essa aqui se chama ovo pelado e foi ensinada pelo site Ciência para crianças, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (www2.bioqmed.ufrj.br/ ciencia/Experiencias.htm)

Do que você precisa
1 vidro com tampa
1 ovo cru
1 garrafa de vinagre branco

Como fazer
1. Coloque o ovo dentro
do vidro, com cuidado para
não trincar a casca.

2. Adicione o vinagre, devagar, até cobrir todo o ovo.

3. Tampe o vidro e observe que aparecem várias bolhas na superfície do ovo! Parece até que está efervescendo.

4. Depois de duas horas, troque o vinagre do frasco. Para isso, retire o ovo com cuidado, usando uma colher de sopa. Não tem problema segurar o ovo com seu dedo quando for jogar o vinagre fora, mas lave a mão depois disso. Retorne o ovo ao frasco e coloque um novo vinagre, cobrindo o ovo novamente. Aguarde alguns dias e você terá um ovo sem a casca. Se colocar o frasco contra a luz, você poderá ver a gema que está dentro desse ovo.

O que está acontecendo?
Foi uma reação química em que houve liberação de um gás (as bolhas que saíam da casca). O vinagre contém ácido acético em sua composição, e esse ácido reage com um composto chamado carbonato de cálcio, que é responsável pela formação da casca do ovo. As bolhas que se formam durante a reação são do gás carbônico (ou dióxido de carbono) que, em química, é representado por CO2.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação