A gaita e o cavaquinho se encontram

A gaita e o cavaquinho se encontram

Irlam Rocha Lima
postado em 28/11/2015 00:00
 (foto: Hugo Santarem/Divulgação)
(foto: Hugo Santarem/Divulgação)



Por motivos diversos, quem for hoje ao Espaço Cultural do Choro vai assistir a um show no mínimo inusitado. Quem divide a cena são músicos cujos instrumentos não costumam estabelecer diálogo: gaita e cavaquinho. Outro dado: raramente, numa mesma apresentação, há o pré-lançamento de dois discos ; o quinto de Pablo Fagundes e o de estreia de Márcio Marinho.

Embora sejam instrumentistas da mesma geração, que costumam se encontrar em rodas de choro e até mesmo em estúdio, Pablo e Márcio nunca estiveram lado a lado no palco. Mas sempre houve admiração mútua de trabalho entre ambos. A ponto de um participar do disco do outro, e vice-versa.

Foi nessa convivência, durante as gravações, que surgiu a ideia de dividir a cena no Espaço Cultural do Choro, para mostrar as afinidades musicais que possuem. ;O Frango (como Márcio é chamado pelos mais próximos) abre o show, no qual faço participação. Eu me apresento na segunda parte, quando terei o bandolim dele para abrilhantar;, anuncia Pablo.

Os dois têm como convidados Pedro Vasconcellos (cavaquinho), Félix Jr. (violão 7 cordas), Marcos Moraes (violão 6 cordas), Sérgio Moraes (flauta) e Valerinho Xavier (pandeiro/percussão), que participaram dos CDs do gaiteiro e do cavaquinista. ;Vai ser importante tê-los conosco, compartilhando desse momento;, diz Márcio.

Pablo conta que o CD De braços abertos traz 11 faixas, sendo nove inéditas e autorais, entre elas Choro de gaita, Baião de dois e a que dá nome ao projeto. ;Fiz nova leitura para Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu), Choro pro Zé (Guinga) e The fly of the tumbee, do compositor russo Rinsky Korsakov.;

Projeto
Integrante do grupo Choro Livre, requisitadíssimo para tomar parte em shows de outros músicos, principalmente em shows pelos projetos do Clube do Choro, Márcio chega finalmente ao seu primeiro trabalho solo. ;Vinha acalentando essa ideia há pelo menos três anos. Inicialmente, pensei em gravar um disco com banda, mas o Valerinho (Xavier) me convenceu a fazê-lo solo;, revela. ;No disco, uso o cavaquinho como instrumento de solo, de acompanhamento e na criação do ritmo, ao mesmo tempo;, acrescenta.

Das 11 faixas do álbum (que leva o nome do músico), três são autorais e escritas por Márcio: Em busca do eu, o ijexá Nas águas de Caraíva e Aquela valsa, ;que compus com o Pablo Fagundes;, destaca. Entre as regravações estão os dos clássicos Carinhoso (Pixinguinha), Doce do coco (Jacob do Bandolim) e Sonata n; 1 (Johan Sebastian Bach). ;Há, também, Xote do filho alheio, de Rogério Caetano, que participou da gravação;, adianta.


Pablo Fagundes e Márcio Marinho
Show do gaitista e do cavaquinista, com a participação de outros músicos, hoje, às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação