Petistas sob pressão

Petistas sob pressão

postado em 02/12/2015 00:00

Pressionados diante da possibilidade de o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, deflagrar um processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, os três integrantes do PT no Conselho de Ética ainda não fecharam os votos no colegiado. Apesar da ação do Planalto, parte da legenda atua a favor de um posicionamento contra o peemedebista. Durante sessão do colegiado ontem, o presidente do PT, Rui Falcão, pediu, em seu perfil no Twitter, para aprovarem o parecer do relator, deputado Fausto Pinato (PRB-SP). ;Confio que nossos deputados, no Conselho de Ética, votem pela admissibilidade;, escreveu.

Os deputados Zé Geraldo (PT-PA), Léo de Brito (PT-AC) e Valmir Prascidelli (PT-SP) se mantiveram calados durante a sessão. Ao fim da reunião, Prascidelli negou pressão do governo e afirmou que há argumentos contundentes para ambos os lados. ;O que não é possível é atribuir a responsabilidade, que é da Casa, ao PT;, disse. Além da posição de Falcão, 31 deputados petistas assinaram um manifesto a fim de pressionar pela aprovação do parecer de Pinato. ;Seria suicídio para o PT continuar apoiando o Cunha;, disse um dos signatários.

Um ex-líder do governo na Câmara avalia que poupar Cunha deixa o partido em uma posição refém. ;Se votarmos favoráveis a ele no Conselho de Ética, e ele, lá na frente, resolver colocar o impeachment para votação, porque ele vai fazer essa ameaça constante, nós não teremos qualquer condição para cobrar nada dele;, afirmou. De acordo com ele, não há dúvidas que Cunha e outros integrantes do partido, incluindo o vice-presidente Michel Temer, estão trabalhando pelo afastamento de Dilma. (MF e PTL)



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação