Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 02/12/2015 00:00
3 por 300
Aliados de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) comentavam ontem a boca pequena que o governo Dilma Rousseff terá que escolher: ou controla os três deputados do partido no Conselho de Ética, fazendo com que votem a favor de uma simples censura pública ao presidente da Câmara, sugerida pelo deputado Wellington Roberto (PR-PB), ou terá que controlar 300 contra o impeachment da presidente da República no futuro próximo. Os petistas, que, ao longo do dia, pendiam entre um voto e outro, temem ser o salvo-conduto de Cunha e, depois, ele não cumprir a parte dele no acordo.

O jogo...
A ideia de Eduardo Cunha com o voto em separado de Wellington Roberto é evitar que o parecer de Fausto Pinato (PRB-SP) seja objeto de recurso ao plenário. É que, se o parecer do relator for derrotado, não cabe recurso ao colegiado maior.

...Vai parar na Justiça
O voto em separado de Wellington Roberto corre o risco de não prosperar e parar na Justiça. É que, nesta fase do processo, não cabe escolher a penalidade e, sim, definir apenas se admite ou não investigar o deputado envolvido.

O que interessa
Ao se reunir com ministros ontem pela manhã, antes do encontro com os líderes, a presidente Dilma foi direta: ;Quero saber é como estão as ações para acabar com o mosquito, os casos de microcefalia e o PLN 05;. Assim, tirou logo cedo da pauta temas como Eduardo Cunha, Delcídio do Amaral e impeachment.

Razões
PSDB e DEM decidiram não assinar a representação contra Delcídio do Amaral no Conselho de Ética por um motivo muito simples: quem assina não pode relatar o processo. E ali tem muita gente interessada em ser o algoz do senador petista.

Silvio Costa faz barulho.../ O deputado Silvio Costa (foto) saiu furioso do Conselho de Ética e, ao chegar no café, encontrou o deputado Luís Carlos Hauly (PSDB-PR), sentado à mesa com Heráclito Fortes (PSB-PI), Marco Maia (PT-RS) e Arlindo Chinaglia (PT-SP). Foi logo dizendo: ;Vão salvar o Eduardo Cunha. Esse voto em separado é a maior indignidade que já vi na vida;.

... e ganha apoio dos tucanos/ Hauly, então, comentou: ;É um caso raro em que concordo com você;. Sílvio, que perde o amigo, mas não a piada, brincou: ;É que eu estou sempre certo e você, raramente acerta!” Foi uma risada geral.

Tendência/ Deputados comentavam a boca pequena que o Congresso não deixaria de aprovar a mudança da meta fiscal por um simples motivo: Dilma disse na reunião ;ter dinheiro, mas não poder usar por causa da meta. Então,vamos dar a meta para liberar as emendas;.

;Jader e ACM;/ Um senador comparava ontem a situação da presidente Dilma Rousseff e do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ao duelo entre Jader Barbalho (PMDB-PA) e Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), no ano 2000. No confronto direto, quem chegou primeiro ao cadafalso puxou o outro. Caíram os dois.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação