2,6 mi podem perder o emprego

2,6 mi podem perder o emprego

» ANTONIO TEMÓTEO
postado em 02/12/2015 00:00

A forte recessão da economia levará milhões de brasileiros a perder o emprego nos próximos meses. A queda de 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre deixou os analistas ainda mais pessimistas em relação ao ritmo de dispensas no mercado formal. Há quem estime que até o fim do primeiro semestre de 2016, 2,6 milhões de pessoas engrossarão as fileiras dos desempregados, quando analisados ante os 12 meses anteriores. No mercado, a única certeza é de que as vagas só serão criadas após os consumidores e os empresários recuperarem a confiança para investir e gastar.


Dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social apontam que 1,4 milhão de pessoas perderam o emprego com carteira assinada em 12 meses, encerrados em outubro. O economista-chefe do Banco Fibra, Cristiano Oliveira, ressaltou que o ciclo de queda da atividade produtiva ainda terá efeitos significativos sobre o mercado de trabalho. Ele explicou que, em um cenário de recessão, o desemprego é o último indicador macroeconômico a ruir e alertou que também é o último a apresentar melhora. Para Oliveira, o ritmo de demissões deve desacelerar no segundo semestre de 2016.


A economista-chefe da ARX Investimentos, Solange Sruor, afirmou a ausência de uma âncora fiscal, com a qual o país consiga frear o ritmo de aumento da dívida em relação ao PIB, não há qualquer perspectiva de melhora para a economia. Segundo ela, sem isso, o país manterá a combinação perversa de inflação em alta e retração da geração de riquezas. ;Só um choque de gestão levaria o governo a reorganizar politicamente para conduzir as reformas necessárias para colocar o Brasil na direção correta. Mas não vejo qualquer sinal de que isso será feito;, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação