Eixo Capital

Eixo Capital

postado em 02/12/2015 00:00
 (foto: Evaristo Sá - AFP - 14/9/14)
(foto: Evaristo Sá - AFP - 14/9/14)

Marina quer ajuda de Rollemberg
Em meio à crise política que atinge o governo de Dilma Rousseff e às suspeitas em torno do ex-presidente Lula, Marina Silva tem feito análises, em conversas com aliados, sobre as perspectivas para 2018. Com a Rede Sustentabilidade viabilizada, a ex-ministra do Meio Ambiente será candidata ao Palácio do Planalto e já tem um plano que envolve o Distrito Federal. Marina quer a ajuda do governador Rodrigo Rollemberg para convencer o comando nacional do PSB a mergulhar nesse projeto. O tempo de televisão do partido de Rollemberg é considerado fundamental pela equipe de Marina.

Trunfo
Como política é uma via de mão dupla, a eventual ajuda de Rodrigo Rollemberg a uma aliança nacional entre a Rede e o PSB significará o apoio de Marina Silva à sua candidatura à reeleição. Caso essa dobradinha não seja possível, o partido da ex-ministra do Meio Ambiente terá de lançar um representante na corrida ao Palácio do Buriti. O candidato será o deputado Chico Leite. Ainda falta muito chão até a sucessão da presidente Dilma Rousseff ; caso a petista permaneça no poder até 2018, o que diante do cenário atual é uma incógnita ;, mas Rollemberg terá de atuar nos bastidores
desde já, de olho nesse projeto nacional.

Mergulhado na crise
Rodrigo Rollemberg esteve, neste ano, com os
ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula, manteve reuniões com a presidente Dilma Rousseff e participou do debate dos governadores em busca de apoio federal. Mas, atolado em problemas por falta de dinheiro, não teve condições de se dedicar aos debates nacionais como gostaria. A expectativa é de que em 2016 sobre mais tempo para esse mergulho nacional.

Contra revisão da meta fiscal

O senador José Antônio Reguffe (PDT-DF) defendeu ontem na tribuna do Senado voto contrário ao projeto de Lei do Executivo, o PLN 5, que altera a meta fiscal do governo e permite que o governo feche o ano com um deficit primário de R$ 119,9 bilhões. ;Um governo não pode gastar mais do que arrecada. No final, quem vai pagar a conta é o contribuinte no futuro;, afirmou.

Frio na barriga dos servidores
O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) convocou uma entrevista coletiva para esta manhã, às 10h. Vai dizer que o 13; salário de quem faz aniversário em dezembro será pago no dia 18.

Vassoura nos protestos
Depois de propor o projeto que obriga a marcação de horário para manifestações, o deputado Cristiano Araújo (PTB) continua no embate com sindicatos e outras entidades que organizam protestos com regularidade. Agora, o distrital apresentou projeto obrigando manifestantes a limparem vias
depois de protestos.

Procurado
O Tribunal de Contas do DF notificou por edital o ex-diretor do DFTrans Marco Antônio Campanella para que tome conhecimento oficial da existência de uma dívida no valor de R$ 5 mil determinada em Tomada de Contas Especial naquela Corte. Esse tipo de expediente é adotado, conforme justificativa do próprio tribunal, quando se esgotam todos os meios para uma intimação pessoal, já que não há registro do endereço de Campanella. O ex-diretor almoçava ontem tranquilamente no Giraffas do Sudoeste. Não é a primeira vez que isso ocorre. Quando aconteceu em agosto, ele disse à reportagem do Correio que atualizaria o endereço no Tribunal de Contas.

A pergunta que não quer calar;.
A Secretaria de Saúde conseguirá quebrar o monopólio da Sanoli no pregão, marcado para ocorrer nesta sexta-feira, com 13 lotes, para o contrato de alimentação dos hospitais públicos do DF?

Siga o dinheiro
R$ 16.913.838,19

Foi o valor liquidado em investimentos na área de saúde, segundo levantamento da liderança do PT na Câmara Legislativa. O montante corresponde a apenas 9,32% do previsto no orçamento de 2015.

Não à chantagem
O deputado Chico Vigilante (PT-DF) telefonou ontem aos deputados federais José Geraldo (PT-PA) e Valmir Prascidelli (PT-SP), integrantes da Comissão de Ética da Câmara, para pedir que eles votem pela continuidade do processo por quebra de decoro contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado de corrupção nos esquemas do Petrolão. ;O PT não pode, em hipótese alguma, ceder à chantagem. Se tiver que ir à guerra, vamos com dignidade;, disse, referindo-se à ameaça de Cunha de colocar em votação os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação