Concentração na Esplanada

Concentração na Esplanada

postado em 17/12/2015 00:00
 (foto: Lula Marques/CB/D.A Press)
(foto: Lula Marques/CB/D.A Press)
Iniciado no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha, um ato organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras organizações percorreu o Eixo Monumental e a Esplanada dos Ministérios no fim da tarde de ontem. Segundo a Polícia Militar, 3 mil pessoas participaram. Os organizadores, no entanto, estimaram 15 mil pessoas. No início da noite, os manifestantes se concentraram em frente ao Congresso Nacional.

Os manifestantes pediam a permanência da presidente Dilma Rousseff e a saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). Eles argumentavam que o pedido de impeachment contra Dilma é uma tentativa de golpe que deve ser combatida a todo custo e que as políticas sociais implementadas pelo partido nos últimos quatro mandatos são extremamente eficazes para a sociedade.

A concentração da manifestação ocorreu simultaneamente à abertura da 3; Conferência da Juventude, evento que acontecia dentro do Estádio Nacional. Água, coletes e bonés da CUT foram distribuídos aos manifestantes. Os manifestantes fizeram críticas ao que chamavam de base conservadora do Congresso e a um suposto desrespeito ao resultado das urnas. Em discurso, a deputada Érika Kokay (PT-DF) disse que ;quando Dilma subiu a rampa do Palácio do Planalto, todos nós subimos juntos e, principalmente, nós, mulheres. As mãos que apedrejam os direitos, que apedrejam as mulheres, que dilaceram a nossa constituição, essas mãos não se apossarão da Presidência da República, porque elegemos Dilma e ela continuará governando esse país;, disse a parlamentar.

Apelo a Janot
Também participaram os deputados Luiz Couto (PT/PB), Carlos Zarattini (PT/SP), Chico Lopes (PCdoB/CE) e Paulão (PT-AL), que, em discurso, criticou o baixo quórum das manifestações de domingo. ;Hoje pela manhã, Em Maceió, mesmo sendo uma cidade com pouco mais de um milhão de habitantes, a gente conseguiu colocar quase 10 mil pessoas na rua. Enquanto, no domingo, os coxinhas não colocaram 500 pessoas, mesmo com mobilização.; Paulão também fez um apelo ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pouco antes do anúncio da Procuradoria-Geral da República solicitar o afastamento de Cunha. ;É necessário também, nessa mobilização, fazermos uma pressão sobre o procurador-geral da República. Por que, até agora, ele não teve coragem de acionar e colocar na cadeia o presidente Eduardo Cunha?; , perguntou.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação