"Fica, Dilma, fora, Cunha"

"Fica, Dilma, fora, Cunha"

Atos em defesa de Dilma Rousseff e pela saída de Eduardo Cunha ocorreram em pelo menos 20 unidades da Federação

postado em 17/12/2015 00:00
 (foto: Miguel Schincariol/AFP)
(foto: Miguel Schincariol/AFP)
Milhares de pessoas foram às ruas ontem contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Segundo os organizadores, os atos reuniram cerca de 130 mil pessoas em todo o país. Os manifestantes, convocados por sindicatos, movimentos sociais, movimentos estudantis, partidos políticos e centrais sindicais carregavam faixas e cartazes com frases como ;não vai ter golpe;, ;unidos contra o golpe;, ;defesa da democracia; e ;Fora, Cunha;. Além de defender a manutenção do mandato da presidente Dilma, os participantes pediam a deposição do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o fim do ajuste fiscal.

Os atos foram registrados em pelo menos 20 unidades da Federação: Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Goiás, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

Em São Paulo, a Polícia Militar estimou que 3 mil pessoas participaram da manifestação na Avenida Paulista. Segundo o Instituto Datafolha, eram 55 mil participantes.

No Rio de Janeiro, o ex-presidente do PSB Roberto Amaral disse, em discurso, que o impeachment é um ;golpe contra o país, os trabalhadores e a soberania;. ;Se nós nos curvarmos ao golpe, ele virá. Se formos dignos à nossa história, ele não passará. A nossa luta é na rua. Quem vai decidir esse debate não é a Câmara, não é o STF, é o povo;, disse. Organizadores dizem que o ato teve adesão de 10 mil pessoas. A PM se recusou a dar estimativa oficial. Mais cedo, por volta das 18h30, a organização estimou em 6 mil participantes, e soldados da PM falaram informalmente em mil pessoas.

Recife
No Recife, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) estimou em 30 mil pessoas o número de manifestantes. Para a PM, havia 3 mil. Em Fortaleza, o presidente da Câmara foi o principal alvo da manifestação, que, segundo os organizadores, reuniu 15 mil pessoas. Liderado pela CUT, o protesto contou com ônibus da entidade vindos do interior do estado. A multidão ficou reunida em frente à Catedral Metropolitana, onde políticos e lideranças sindicais se revezavam em discursos contra o impeachment.

Em Natal, os manifestantes encerraram o ato após caminharem por duas horas e meia. A PM diz que 5 mil pessoas participaram. A organização fechou o número em 7.000.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação