Chavistas acusados de narcotráfico

Chavistas acusados de narcotráfico

postado em 17/12/2015 00:00
 (foto: Leo Ramirez /AFP)
(foto: Leo Ramirez /AFP)

Dois importantes militares venezuelanos, um deles comandante da Guarda Nacional Bolivariana (GNB), estão a ponto de ser indiciados por narcotráfico na Justiça norte-americana, de acordo com fontes citadas pelo jornal The New York Times. O general Néstor Reverol, que atuamente chefia a GNB, respondeu antes pela agência antidrogas da Venezuela, e é acusado de ter recebido subornos para alertar os traficantes sobre o andamento de investigações e sobre operações de busca.


A ação legal contra os dois generais se segue à prisão de dois sobrinhos da primeira-dama, também nos Estados Unidos, e a acusações contra o presidente chavista da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello ; todos em casos de narcotráfico. A ofensiva da Justiça americana contra dirigentes chavistas levou o presidente Nicolás Maduro a apontar um ;complô internacional; para desestabilizar o regime às vésperas da eleição do último dia 6, quando a oposição conquistou dois terços do Legislativo. Na tensa expectativa pela nova legislatura, Maduro prometeu, na noite de terça-feira, que dará ;todo o poder; ao recém-instalado Parlamento Comunal, instituído pela maioria chavista em fim de mandato para ;manter a revolução bolivariana no caminho do Estado comunal;.


Segundo o NY Times, a Corte Federal Distrital do Brooklyn, em Nova York, prepara o indiciamento de Reverol e do general Edilberto Molina, que foi subchefe da agência antidrogas venezuelana. ;A acusação pode ser formalizada neste mês marcaria um dos casos mais notáveis envolvendo a elite política de Caracas;, diz o jornal. O comandante da GNB era próximo ao falecido presidente Hugo Chávez e, de acordo com as fontes ouvidas pelo jornal, teria frequentado por uma década a lista de autoridades subornadas pelos cartéis ; que, segundo a Casa Branca, enviam por território venezuelano 25% da cocaína destinada ao mercado norte-americano.
Reverol é acusado de ter atuado pessoalmente para ;deter ou impedir investigações; contra os traficantes, valendo-se da influência que tem em áreas importantes do regime chavista, em especial no setor de segurança. No comando da GNB, o general tem controle direto sobre as unidades que protegem as fronteiras.

25%

Porcentagem da cocaína
enviada aos EUA que passa
pela Venezuela, segundo as autoridades americanas

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação