Teori solta o banqueiro André Esteves. Delcídio fica na cadeia

Teori solta o banqueiro André Esteves. Delcídio fica na cadeia

postado em 18/12/2015 00:00
 (foto: Rogério Cassimiro/AFP - 26/4/15)
(foto: Rogério Cassimiro/AFP - 26/4/15)

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), revogou, ontem à tarde, a prisão do banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, mas manteve na cadeia o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e do assessor dele, Diogo Ferreira. Os três são suspeitos de planejar a fuga do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró a fim de que ele não fizesse acordo de delação premiada.

A principal prova contra o trio é uma gravação feita pelo filho de Cerveró, Bernardo. Numa conversa no começo do mês passado, Delcídio e Ferreira cogitam enviar o ex-diretor da Petrobras para Espanha, via Paraguai, e afirmam que Esteves daria suporte financeiro de R$ 50 mil mensais à família dele. O banqueiro não participa da conversa, mas teria tido acessos a trechos da delação de Cerveró.

No começo da semana, Delcídio comunicou a Teori que ;blefou; sobre a participação de Esteves na ideia de ajudar na fuga de Cerveró. Até então, o petista ocupava o posto de líder do governo no Senado.

No STJ
A 5; Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou a substituição do ministro Ribeiro Dantas na relatoria dos processos da Lava-Jato. Os casos serão assumidos pelo ministro Felix Fischer, presidente do colegiado.

A turma aprovou por unanimidade a questão de ordem levantada pelo ministro, que se baseou em uma norma do regimento interno que diz que, quando o relator fica vencido em votação no plenário, caberá ao ministro vencedor, que abriu a divergência, assumir o processo. Com a troca, os processos da Lava-Jato passarão para Fischer, que abriu a divergência em quatro processos nos quais Dantas perdeu.

O ministro votou pela flexibilização da prisão preventiva dos executivos Marcelo Odebrecht, Márcio Faria, Rogério Araújo, Otávio Marques de Azevedo e Elton Negrão, presos na Lava-Jato. Dantas ficou vencido por quatro votos a um em todos os processos ; em um deles, a divergência foi aberta pelo ministro Jorge Mussi.

Antes do fim da sessão que determinou a substituição da relatoria, Dantas explicou que não está desistindo dos processos da Lava-Jato. ;Não desisti e nem poderia. Estou, nos termos precedentes da Corte Especial do STJ, passando a relatoria dos processos conexos para o ministro que foi o voto vencedor nos casos em que fui vencido;, afirmou.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação