WhatsApp para por 12 horas

WhatsApp para por 12 horas

Justiça suspende bloqueio ao aplicativo, mas mantém multa à empresa por não repassar informação solicitada em investigação. Dono do Facebook, Mark Zuckerberg lamenta que esforço pelo sigilo prejudique os brasileiros

» Ataide de Almeida Jr. » Jacqueline Saraiva
postado em 18/12/2015 00:00


Foram 12 horas de sofrimento para boa parte dos 100 milhões de usuários brasileiros do WhatsApp até que o aplicativo voltasse a funcionar. A decisão do desbloqueio foi tomada pelo desembargador Xavier de Souza, da 11; Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, que considerou que ;não se mostra razoável (a decisão) que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa; e que ;é possível, sempre respeitada a convicção da autoridade apontada como coatora, a elevação do valor da multa;, ou seja, fazer doer no bolso da empresa.
A notícia do bloqueio pegou os usuários do aplicativo de surpresa na tarde de quarta-feira. A estudante Thaís Araújo, 24 anos, não acreditou quando recebeu a notícia. ;Achei que era mentira. Entrei em desespero quando parou de funcionar. Eu tinha muitas coisas para resolver e fiquei me perguntando como eu faria tudo aquilo;, explica. Estava organizando o aniversário de 1 ano do filho Miguel, por meio do aplicativo.
No entanto, antes mesmo do desbloqueio, ela resolver contornar parte do problema usando o messenger do Facebook. ;Lá eu consegui resolver uma coisa ou outra, mas é diferente, pois não tenho todos os contatos do Whatsapp no Face;, conta. Pensei em usar o telefone, mas algumas ligações eram para fora de Brasília e sairia muito caro.
Quando o aplicativo voltou a funcionar, foi um alívio para ela. ;Pensei: minha vida voltará ao normal;, explica. ;Fiquei feliz por ver tantas mensagens de uma vez e consegui resolver tudo muito mais rápido;, conta.

Motivações


Na quarta-feira, as operadoras de telefonia receberam ofício da 1; Vara Criminal de São Bernardo do Campo (SP), para que bloqueassem o aplicativo por 48 horas. A decisão havia sido proferida em procedimento criminal que ocorre em segredo de justiça. O processo por trás do bloqueio do WhatsApp envolve o crime organizado. Segundo policiais, um dos objetivos do bloqueio era obrigar que os chefes da organização criminosa a usarem celulares para fazer ligações em vez de mandar mensagens instantâneas por meio do aplicativo.
De acordo com os investigadores, as polícias Civil e Federal têm dificuldade em obter dados com empresas de internet, pois falta colaboração. Para eles, a paralisação do serviço serviria também como forma de pressão para que o Facebook ; responsável pelo WhatsApp ; crie ferramentas que permitam rastrear as mensagens publicadas por suspeitos de envolvimento com crime organizado.

Em comunicado, os responsáveis pelo aplicativo afirmaram que não têm as informações solicitadas pela Justiça e lamentaram o bloqueio. ;Estamos desapontados que um juiz tenha punido mais de 100 milhões pessoas no Brasil, porque não pudemos entregar informações que não tínhamos.;
O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, ao contrário, não negou que o WhatsApp tivesse os dados, preferiu enaltecer o sigilo garantido pela empresa. ;Estou chocado que nossos esforços em proteger dados pessoais poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de um único juiz;, afirmou. Depois do desbloqueio, agradeceu o apoio da comunidade.


Jeitinho


Como para tudo neste país há o jeitinho brasileiro, os usuários logo começaram a baixar aplicativos que se conectam a internet por meio de uma Virtual Private Network (VPN) ou Rede Privada Virtual, na tradução. Uma VPN é uma conexão feita sobre uma rede pública ou compartilhada, mas que nem sempre são seguras. É como se o IP do smartphone ou do computador fosse transportado do Brasil, por exemplo, para os Estados Unidos. Dessa forma, foi possível se conectar ao servidor do WhatsApp e continuar a utilizar o serviço.


Lamentos

Sobrou para o Twitter, rede social no qual as pessoas sempre ;xingam muito;, ouvir as lamúrias dos órfãos temporários do WhatsApp. As principais imagens mostravam o ator Tom Hanks no filme Náufrago, no qual aparece isolado de todo o mundo. Além disso, muitos mostravam uma foto do vice-presidente da República, Michel Temer, com os dizeres: ;Você pode trocar o WhatsApp por uma carta, por exemplo;, em referência à carta que ele enviou à presidente Dilma.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação