Tira-teima na saideira de 2015

Tira-teima na saideira de 2015

Brasília Vôlei e UniCeub/BRB encerram o ano esportivo, hoje, com jogos no interior paulista. Juntos, os principais times da capital somaram 40 vitórias e 40 derrotas no ano. Título solitário veio do basquete

Maíra Nunes Douglas Carvalho Especial para o Correio
postado em 22/12/2015 00:00
 (foto: Brito Júnior/Divulgação)
(foto: Brito Júnior/Divulgação)





Hoje é dia de despedida para os dois representantes da capital federal no cenário nacional esportivo. UniCeub/BRB e Brasília Vôlei fazem o último jogo do ano no Novo Basquete Brasil (NBB) e na Superliga feminina, respectivamente. As meninas comandadas pelo técnico Manu Arnaut são as primeiras a entrarem em quadra, às 19h30, contra o Pinheiros. Meia hora depois, é a vez do tricampeão da Liga Sul-Americana de basquete ir em busca da quinta vitória no torneio nacional, diante do Rio Claro. Ambos se despedem de 2015 fora de casa.


As partidas de logo mais servirão para um tira-teima do ano do basquete e do vôlei no Distrito Federal. De janeiro a dezembro, o torcedor candango comemorou tanto quanto chorou ; somando as partidas dos dois times por todas as competições, foram 40 vitórias e 40 derrotas. Hoje será o dia de definir se o balanço terminará positivo ou negativo.


Os números mostram que o ano vai embora com um título conquistado, o do UniCeub/BRB na Liga Sul-Americana, no início do mês, e alguns sonhos perdidos no meio do caminho. No primeiro semestre, ambas as equipes caíram nas quartas de final de suas competições: o Brasília Vôlei perdeu a série diante do Sesi-SP e o time de basquete caiu para o Limeira.


Focando apenas na temporada atual, iniciada em novembro, os times da cidade chegam à saideira de 2015 com aproveitamento próximo aos 50%. Diante do Rio Claro, hoje, o UniCeub/BRB desempatará o número de vitórias e derrotas: são quatro de cada até o momento. O Brasília Vôlei soma seis triunfos e cinco tropeços.


Ao total, as meninas de Taguatinga ganharam 19 pontos dos 33 disputados no primeiro turno, pois no vôlei a pontuação se dá de acordo com a quantidade de sets que se vence ou perde, indo de zero a três. O aproveitamento de 57,5% colocou as meninas na sexta colocação e, automaticamente, garantiu vaga na Copa do Brasil do ano que vem, pois os oito primeiros colocados do primeiro turno se classificam.

Em solo paulista

Os times da capital passam a régua em 2015 em cidades do interior de São Paulo. Não é à toa. Mais da metade dos times nos dois campeonatos representam o estado. No vôlei, o adversário das brasilienses está entre as sete equipes paulistas dos 12 participantes da elite. De lá também vem mais da metade dos clubes do NBB: oito de 15.


Por sinal, é justamente na liga de basquete que paulistas fazem valer a superioridade numérica. Quatro dos cinco primeiros colocados da tabela são de São Paulo, incluindo o líder Paulistano e o vice-líder Bauru. O ;intruso; Flamengo aparece apenas na terceira colocação. A regra, no entanto, não vale para o principal campeonato de vôlei do país. Só um representante terminou o primeiro turno da Superliga feminina no top-5 ; o Osasco está em terceiro lugar.


Para o alívio dos times do DF, os oponentes de hoje não estão entre os que ocupam o topo da tabela. Na sétima posição, o UniCeub/BRB pega o 12; colocado em busca de redenção, após a derrota para o Flamengo, em casa, no maior clássico do NBB. O Brasília Vôlei, por sua vez, se prepara para a revanche contra o Pinheiros, que está na nona posição ; no primeiro confronto da temporada entre eles, Paula Pequeno e amigas perderam por 3 sets a 0.


;Queremos tirar a má impressão causada no primeiro jogo contra elas, quando tivemos 11 erros apenas no primeiro set;, avisa o treinador Manu Arnaut. Na segunda metade do turno, a equipe da capital conseguiu uma sequência de bons resultados que fez o time recuperar algumas posições. Agora, está em sexto, com possibilidade de saltar duas colocações nesta rodada. Mais confiante, a oposta Bárbara Bruch avalia o momento do time: ;Ficou aquele gostinho amargo no primeiro turno. Mesmo fora de casa, sabemos de nosso potencial;.





Em casa, só em janeiro
Se os representantes do DF se despedem de 2015 longe de casa, a retomada no ano-novo será diante da torcida. Em 2016, o primeiro jogo do Brasília Vôlei é contra o Praia Clube, em 8 de janeiro, às 20h, no Sesi de Taguatinga. No dia seguinte, os fãs de basquete poderão matar as saudades com UniCeub/BRB x Minas, às 17h30, na Asceb.





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação