De patins rumo à lendária Rota 66

De patins rumo à lendária Rota 66

Perto de completar 40 anos, Gutto Ziller se prepara para percorrer os 137 quilômetros que separam Brasília de Cristalina

» Guto Ziller » Rafael Campos
postado em 14/01/2016 00:00
 (foto: Carlos Silva/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Silva/CB/D.A Press)




Ao descer uma ladeira, a velocidade de um patinador pode chegar a 95 km/h. Por ser um meio de transporte com freios simples, toda a estabilidade precisa ser mantida na parte superior do corpo, de forma que as alterações da pista não se tornem um obstáculo fatal. ;Se algo aparece, não há muito o que fazer. Brinco com meus amigos que, caso aconteça, será hora de encontrar com o ceifador;, brinca Guto Ziller, personal trainer que, em fevereiro, vai comemorar seus 40 anos com uma nova aventura sobre rodas.

Guto ficou conhecido quando, em 2011, percorreu os 750 quilômetros que separam Brasília de Belo Horizonte em cima de um par de patins. Numa viagem que durou uma semana, ele se manteve com isotônico, gelo e a certeza de que superaria aquela distância. Agora, quer relembrar o momento em uma corrida comemorativa, quando vai percorrer os 137 quilômetros entre a capital do país e Cristalina (GO). ;Quero celebrar de patins, porque foi com eles que consegui um status na vida. E eles são também a minha terapia;, garante.

A relação de Guto com o esporte surgiu pela necessidade. Ele conta que, na infância, havia uma pista no Lago Sul e toda sua família demonstrava talento, menos ele. ;Era bom em tudo, futebol, bicicleta, skate, mas não gostava de patins. Mas, depois que uma ex-namorada me estimulou, comecei a ficar mais interessado.; Foi nessa época que começou na faculdade. Mesmo tendo ganhado um carro do pai, não tinha dinheiro nem mesmo para a passagem de ônibus. ;Morava na Asa Norte e estudava na Católica. Para não perder aula, comecei a ir de patins. Foi quando descobri que, realmente, gostava daquilo.;

A experiência diária deu fôlego para que ele começasse a pensar em roteiros ainda mais longos. ;Comecei a pensar que, se dava conta de ir para a faculdade, poderia cobrir facilmente os 200 quilômetros entre Brasília e Goiânia.; E foi assim que deu início ao seu histórico de aventuras sobre patins. Aventuras que não se limitam ao esforço hercúleo de se meter em rodovias. Quem lida com o trânsito diariamente em um meio de transporte que saia do esquema das quatro rodas sabe que os riscos são constantes. ;Tomo fechadas, buzinadas e gritos todos os dias. Pelo menos o asfalto de Brasília é liso, mas já tive de andar na BR no caminho para Belo Horizonte, porque era impossível percorrer o acostamento;, acrescenta.

Rota 66

Guto explica que, nas estradas, o principal equipamento de segurança que usa é o capacete. ;Se você rodar 100km de caneleira e cotoveleira, sabe que vai assar. É arriscado, mas é o medo que me mantém vivo.; Dentre os outros itens estão barras de cereal, castanhas, muito protetor solar, muitos mais pares de meias e consciência ecológica. ;Paro a cada 50km para trocar o par. E sempre aproveito para plantar uma árvore;, garante o patinador. Outro cuidado importante é manter a cabeça centrada no objetivo. O atleta frisa que os momentos de solidão na estrada são mais difíceis de suportar que qualquer dor física.

;É a mente quem mais te cobra nessas viagens. Mas é preciso se preocupar com outras coisas. Por exemplo, sempre uso fitas refletivas e roupas que chamam atenção;, explica. Além disso, ele só patina à noite no DF, onde conhece bem as rodovias. Mesmo que sofra com o preconceito de certos motoristas, Guto afirma que o fato de os patins ainda serem vistos como uma atividade eminentemente fitness, acaba sendo vantajoso para quem o usa como meio de transporte. ;Como os motoristas não estão acostumados com a gente nas ruas, tomam mais cuidado. Mas precisamos ficar sempre muito atentos.;

Para quem acha que 750 quilômetros são suficientes para acalmar o ímpeto de Guto, é bom saber que suas intenções são ainda mais grandiosas. O atleta assegura que a próxima aventura envolve os 3.755 quilômetros da Rota 66, uma das rodovias mais famosas dos Estados Unidos. ;Essa é mais complicada, preciso de patrocínio. Mas tenho certeza que vou conseguir.;

Benefícios do patins

; Auxílio no controle do peso
; Fortalecimento dos ossos, músculos, tendões e ligamentos
; Desenvolvimento de flexibilidade, equilíbrio, agilidade, força e resistência
; Aumento da resistência muscular, modelamento da musculatura dos membros inferiores, especialmente coxas e glúteos
; Auxílio no desenvolvimento da coordenação motora e ajuda no condicionamento respiratório

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação