Estrutura óssea servia para dinossauros atraírem parceiros

Estrutura óssea servia para dinossauros atraírem parceiros

postado em 14/01/2016 00:00
 (foto: Rebecca Gelernter/QMUL/Divulgação)
(foto: Rebecca Gelernter/QMUL/Divulgação)


Assim como os pássaros, os dinossauros tinham características visuais que serviam para atrair parceiros. A descoberta é de pesquisadores da Queen Mary University em Londres, e foi publicada ontem no jornal Palaeontologia Electronica. Essa é a primeira vez que cientistas relacionam a função da anatomia com a seleção sexual dos grandes lagartos. Entre as ferramentas usadas por esses animais extintos durante a corte estão chifres e cristas, que variavam de acordo com a idade e com a espécie. A descoberta foi feita com base em uma estrutura óssea que se estendia da cabeça à parte de trás do pescoço dos protocerátopos, estudada em fósseis de filhotes e adultos.
O protocerátopo era um pequeno dinossauro com chifres, com cerca de 2m de comprimento do focinho até a ponta da cauda. Ele se distinguia por meio de uma estrutura sobre a cabeça que tinha o formato semelhante ao de um colar elisabetano. O estudo mostra como essa característica física crescia desproporcionalmente conforme os bichos envelheciam, sugerindo que a ferramenta tinha função relacionada à seleção sexual. Os especialistas acreditam que o adorno era usado para mostrar a potenciais parceiros os atributos físicos e a posição dominante em interações sociais.
;Paleontologistas suspeitam há tempo de que muitas das estranhas características que vemos em dinossauros estão ligadas à exibição sexual e à dominância social, mas isso é muito difícil de mostrar. O padrão de crescimento que vemos nos protocerátopos é consistente com aquele visto em estruturas de sinalização em diversas espécies vivas e forma um padrão coerente de animais muito jovens até grandes adultos;, analisa David Hone, especialista em zoologia da Queen Mary University.

Estágios


Os pesquisadores registraram a mudança de comprimento e de largura da estrutura ao longo de 37 espécimes em quatro estágios de desenvolvimento: recém-nascidos, jovens, próximos da fase adulta e dinossauros completamente desenvolvidos. A cada idade, a formação óssea que enfeitava os répteis aumentava e mudava de forma, se tornando cada vez maior em relação ao corpo do dinossauro.
Para os autores do artigo, a descoberta pode ajudar a ciência a compreender melhor as características de seleção sexual de dinossauros e de animais do tempo atual. ;Biólogos percebem cada vez mais que a seleção sexual é muito importante para moldar a biodiversidade tanto hoje quanto no passado. Não apenas a seleção sexual é a causa da maioria das mais estranhas, bonitas e impressionantes características que vemos no reino animal, como ela também parece ter um papel em determinar como novas espécies surgem. Também há evidências de que isso afeta da mesma forma as taxas de extinção e a forma como animais podem se adaptar a novos ambientes;, acredita Rob Knell, especialista em ecologia da evolução na instituição britânica.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação