Futebol decide punir cânticos contra os gays

Futebol decide punir cânticos contra os gays

postado em 14/01/2016 00:00


No mesmo dia em que anunciou a demissão de Jérôme Valcke (leia reportagem na página 20), a Fifa anunciou sanções contra federações das Américas do Sul e do Norte por causa de cantos homofóbicos de seus torcedores nas Eliminatórias para a Copa de 2018. Argentina, Chile, México, Peru e Uruguai foram punidos com multas que variam entre 20 mil francos suíços e 70 mil francos suíços (aproximadamente entre R$ 79 mil e R$ 276 mil). E Honduras terá o caso avaliado.

Apesar do valor relativamente baixo da punição, a atitude da Fifa é um sinal de que a entidade optou por considerar os cânticos como ;ofensas discriminatórias;. Durante a Copa de 2014, no Brasil, Organizações Não-Governamentais se queixaram de que a Fifa fez vistas grossas ao problema, enquanto a entidade insistia que o tom dos gritos dos torcedores era ;cultural; e não homofóbicos.

De acordo com a Fifa, os cânticos homofóbicos proferidos pelos torcedores ;constituem uma violação ao artigo 67 do Código Disciplinar da Fifa;. E o Chile recebeu a pena mais pesada, de 70 mil francos suíços, em razão de quatro casos. Argentina, México, Peru e Uruguai foram multados no mesmo valor, de 20 mil francos suíços, por incidentes registrados uma única vez.

O Comitê Disciplinar da Fifa passou a considerar a atitude como ;conduta antidesportiva; e passou a operar um ;sistema de vigilância; nos jogos para detectar atos discriminatórios e racistas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação