A mística do número sete

A mística do número sete

» Adriana Izel
postado em 14/01/2016 00:00
 (foto: Canal Brasil/Reprodução)
(foto: Canal Brasil/Reprodução)






Há sete anos, o músico gaúcho Yamandu Costa conversava com o amigo e diretor Pablo Francischelli no Bar Semente, na Lapa, no Rio de Janeiro, coincidentemente sobre a mística em torno do número sete. O papo acabou chegando ao violão de sete cordas. ;O Pablo teve a ideia de fazer algo com foco em cima do instrumento, que normalmente serve mais de acompanhamento na música. Mas não queríamos só falar do violão, mas da vida das pessoas que estão envolvidas com ele;, lembra Yamandu ao Correio.

Depois de sete anos daquele bate-papo, a ideia finalmente tomou forma e se transformou em um programa televisivo, intitulado Sete vidas em 7 cordas, que estreou em 17 de dezembro, no Canal Brasil. O projeto, que é exibido toda quinta-feira, às 20h, teve produção da Doblechapa e direção de Pablo Francischelli. Com reprises aos domingos, às 12h30, e às terças, às 17h.

Ao todo, são sete episódios com sete convidados: a russa Anastasia Bardina; o carioca Carlinhos Sete Cordas; o goiano-brasiliense Rogério Caetano, o paulista Luizinho Sete Cordas, Arthur Bonilla (morto em maio do ano passado), o carioca Valter Silva e o pernambucano Vinícius Sarmento. ;Procuramos dar um panorama desde o Sul ao Nordeste do país indo até Rússia, que é o início e o berço do instrumento. Tudo começou lá. Trouxemos convidados bem diferentes para situar e mostrar a importância do instrumento;, explica o artista.

As gravações foram feitas de forma despretensiosa. Yamandu Costa não seguiu um roteiro engessado e fez cada episódio de acordo com sua agenda de shows pelo mundo. ;A curadoria e a apresentação surgiram das minhas curiosidades sobre o instrumento. Não teve roteiro nem nada pensado. Uma equipe ficou na minha cola filmando tudo;, completa.

Sobre uma segunda temporada, Yamandu diz que não há ainda negociação para fazer, apesar da boa repercussão do programa. ;Tem feito muito sucesso, as pessoas tem comentado. Mas talvez fazer uma segunda temporada fosse forçar a barra, apesar de ainda ter muito assunto. Se alguém quiser patrocinar, eu topo;, afirma.

Prata da casa
O terceiro episódio de Sete vidas em 7 cordas contou com a participação de Rogério Caetano, artista goiano que fez carreira na capital ao participar de grupos de choro ao lado do bandolinista Hamilton de Holanda. Ele foi estudante do cearense Alencar 7 Cordas, além de ter o livro Sete cordas: técnica e estilo. Atualmente faz parte da banda de Zeca Pagodinho, com quem divide espaço no capítulo do programa.


Sete vidas em 7 cordas
Toda quinta-feira, às 20h, no Canal Brasil. Reprises aos domingos, às 12h30, e às terças, às 17h.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação