Dólar sobe para R$ 4,10

Dólar sobe para R$ 4,10

postado em 21/01/2016 00:00
O dólar teve ontem mais um dia de alta, em meio à tensão no exterior e às dúvidas de que o Banco Central (BC) fará os esforços necessários para levar a inflação ao centro da meta, de 4,5% ao ano. Com a elevação de 1,24%, a divisa fechou em R$ 4,105. É o maior valor desde 28 de setembro do ano passado. Na máxima do dia, a moeda norte-americana chegou a R$ 4,13.

No mercado internacional, a principal influência negativa veio da perspectiva de aumento da oferta de petróleo, o que derrubou a cotação da commodity e intensificou previsões de recessão em vários países, fazendo as moedas dos emergentes perderem valor diante do dólar. ;A injeção de US$ 22 bilhões pelo governo chinês em bancos do país, que deveria aumentar o otimismo, não fez nem cócegas;, disse o analista da Fair Corretora Roberto Pascoal.

Para o economista-chefe da INVX Global Partners, Eduardo Velho, continuou pesando no mercado a declaração do presidente do BC, Alexandre Tombini, na terça-feira, de que o Comitê de Política Monetária (Copom) levaria em conta a previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI) de uma recessão mais forte para o Brasil neste ano. Vários analistas viram na declaração um sinal de que o Copom não elevaria os juros, o que acabou se confirmando.

;O presidente do BC falar em dia de reunião do Copom é algo que nunca ocorreu no Brasil ou em qualquer país;, notou Velho. A interpretação que prevalece entre analistas é de que a autoridade monetária não terá liberdade para subir juros, o que deverá elevar a inflação, deixando-a ainda mais longe da meta. Com a perda de credibilidade do BC e o dólar caro, a carestia ficará alta por mais tempo, expectativa que já se refletiu ontem na elevação dos juros no mercado futuro, disse Velho. (PSP)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação