De volta ao Gama?

De volta ao Gama?

Há oito anos, jogar no Bezerrão foi só atalho para Adriano tentar ir à Copa. Agora, pode ser o palco de um novo recomeço

Marcos Paulo Lima
Marcos Paulo Lima
postado em 21/01/2016 00:00
 (foto: Jorge Cardoso/CB/D.A Press - 19/11/08)
(foto: Jorge Cardoso/CB/D.A Press - 19/11/08)


O blog Drible de Corpo do Correio antecipou ontem, às 12h, que Adriano tinha uma proposta do fornecedor suíço de material esportivo do Gama ; 14Fourteen ; para ser o garoto-propaganda de uma ação de marketing: vender camisas e invadir o mercado brasileiro. A informação foi confirmada pelo presidente alviverde, Antônio Alves Nascimento, o Tonhão, pelo site do Gama e por quem negocia: o representante da 14Fourteen no DF, Léo Silva, e o empresário do Imperador, Luiz Cláudio Menezes, o Luca.

Léo Silva mostrou otimismo. ;Fizemos, sim, uma proposta para ele. Foi uma proposta boa, até mesmo a mãe dele se interessou. Ele tem propostas de outros clubes, do Brasil e até mesmo da Itália, mas teremos uma reunião com ele e dependemos apenas da decisão do Adriano;, explicou.

Aborrecido com o vazamento da notícia no Correio, o agente falou grosso. ;Eles me ligaram, sim, mas o Adriano agradeceu e não houve acerto nenhum. Ele não vai. Encerrado o assunto;.

Mas a reportagem apurou que o martelo não foi batido e a parceira do Gama não jogou a toalha. Ousada, a marca suíça joga pesado para conquistar o coração da mãe de Adriano, dona Rosilda ; a mulher que um dia bradou ;meu filho não é bandido; e não desiste nunca de ver o herdeiro de volta ao futebol. Para ela, é um vitória pessoal. Fora dos gramados desde 8 de abril de 2014, quando era do Atlético-PR, Adriano até entrou em forma para presentear a mãe.

Para ter Adriano com a camisa 14 do Gama ; número da logo da 14Fourteen ; a empresa suíça teria oferecido à dona Rosilda bônus de R$ 100 mil. Ela é a única que ainda doma a ;fera;. A missão de convencê-lo a partir novamente do zero aqui no Gama não é fácil. Adriano insiste em jogar na Itália. Ele recusou dois convites de pequenos clubes brasileiros..

Recomeçar do zero no Gama não seria novidade para Adriano. Em 19 de novembro de 2008, o sonho do Imperador de ir à Copa de 2010 passou pelo Bezerrão. Reserva de Luis Fabiano na reinauguração do estádio, ele entrou com a camisa 21 e fez o sexto gol do massacre por 6 x 2 sobre Portugal, de Cristiano Ronaldo.

Depois daquele jogo, Adriano voltou para a Itália. Teve as recaídas de sempre e regressou ao Flamengo para viver a última grande fase da carreira. Artilheiro do Brasileirão, ao lado de Diego Tardelli, com 19 gols, levou o clube que o revelou ao hexacampeonato.

O recomeço no Gama com a Seleção ; e o sucesso no Fla ; foram jogados no lixo por Adriano. Depois de ficar fora da Copa de 2010 por indisciplina, perambulou por Roma, Corinthians e Atlético-PR. Aos 33 anos, Adriano sabe que as portas dos clubes de alto nível se fecharam. Talvez, o orgulho de quem chegou a ser o quinto melhor do mundo em 2005 ; atrás apenas de Ronaldinho, Lampard, Eto;o e Henry ; não permita aceitar proposta de um time fora de série ; como o Gama.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação