Grita geral

Grita geral

grita.df@dabr.com.br (cartas: SIG, Quadra 2, Lote 340 / CEP 70.610-901)

postado em 17/02/2016 00:00
 (foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)

SLU
Nada mudou

Um leitor, que preferiu não se identificar, entrou em contato com a coluna Grita Geral, por meio do WhatsApp do Correio (9256-3846?), para reclamar da falta de cumprimento da retirada de lixo na parada de ônibus próxima à Chácara 56 da Colônia Agrícola de Samambaia. Segundo ele, a situação, já relatada pelo jornal na edição de 4 de fevereiro, permanece a mesma. ;Não sabemos o que fazer e a qual órgão recorrer. A parada está tomada por lixo. Isso é uma vergonha.; O leitor também afirma que o problema começou em outubro do ano passado e, até o momento, não foi tomada nenhuma providência para solucionar o caso.

; O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) informa que técnicos operacionais estiveram no local e fizeram o recolhimento dos resíduos. Na segunda-feira, voltarão para verificar a situação, fazer o recolhimento e orientar o proprietário dos contêineres sobre a manutenção e a higienização dos contêineres, além da disponibilização dos resíduos para a coleta. O SLU pede a colaboração dos cidadãos para colocar os resíduos nos dias e horários do recolhimento. Os horários das coletas estão disponíveis no site www.slu.df.gov.br. A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) esclarece que aplica multas em caso de flagrante de despejo de lixo em local irregular ou quando é possível identificar o infrator. Por isso, para a Agefis, a ajuda da população é essencial.




Secretaria de Saúde
Foco de dengue

Um leitor, que preferiu não se identificar, entrou em contato com a coluna Grita Geral, por meio do WhatsApp do Correio (9256-3846?), para reclamar da falta de fiscalização de foco de dengue em propriedades privadas abandonadas. Segundo ele, há pelo menos três anos, um antigo reservatório de água, dentro do terreno da Caesb e próximo ao terminal de ônibus da cidade, tem acumulado água parada. ;A área do foco é quase do tamanho de um campo de futebol;, contou. O leitor também denuncia falta de bomba para retirar a água de dentro desse tanque, contribuindo, assim, com a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que se reproduz nesse tipo de ambiente.

; A Secretaria de Saúde informa que a população deve entrar em contato com a ouvidoria da pasta, pelo telefone 160, para fazer denúncia de focos de dengue. As equipes da Vigilância Ambiental são notificadas e fazem vistoria nos locais informados. Os agentes fazem visitas periódicas e, em caso de reincidência, o proprietário é notificado.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação