A hora do rock nacional

A hora do rock nacional

» Irlam Rocha Lima Enviado especial
postado em 24/02/2016 00:00
 (foto: Leo Aversa/Divulgação)
(foto: Leo Aversa/Divulgação)





São Paulo ; Depois da MPB de Elis Regina, da bossa-nova de Tom Jobim, do samba e da soul music de Tim Maia, um outro importante gênero da música popular brasileira será homenageado pelo projeto Nivea Viva em sua quinta edição: O Rock Brasil. Com curadoria de Monique Gardemberg e direção musical de Lirinha, o show será apresentado em oito capitais brasileiras, incluindo Brasília.

O elenco escalado para esta série de concertos é formado por Nando Reis, Paula Toller, Paralamas do Sucesso e Pitty. Eles serão acompanhados por Dado Villa-Lobos (guitarra), Marcelo Bonfá (bateria) e Milton Guedes (sax e gaita). A eles se juntam, além de Lirinha (baixo), Maurício Barros e Rodrigo Suricato. A turnê terá início em 15 de março no Rio de Janeiro. Na sequência, será levada a Porto Alegre, Recife, Salvador, e chegará a Brasília em 5 de junho. O encerramento ocorrerá em julho, em São Paulo.

;Vejo atitude nesta escolha. Será uma grande homenagem ao rock nacional que, há 60 anos, está encorporado a nossa cultura;, diz Monique Gardemberg, responsável pela curadoria do projeto e ex-produtora do Free Jazz Festival. ;Vamos passear por diferentes épocas e por seus representantes: de Cely Campelo, no começo da década de 1960, até o pessoal dos anos 1990, como Raimundos e Mutantes, passando pela Jovem Guarda, Raul Seixas, e claro, o rock dos anos 1980;, completa. O repertório ainda não está totalmente definido, mas, segundo Monique, o que o público verá e ouvirá é uma verdadeira retrospectiva.

Lirinha contou que ficou honrado com a escolha dele para dirigir o show do projeto. ;Na formação da banda, estarei cercado por músicos com quem tenho identificação e com os quais já fiz apresentações em alguns momentos. Mas não vou deixar de tocar baixo, que é a coisa que mais gosto de fazer.;

;Minha alegria é grande por estar nesse projeto representando bandas como Raimundos, Planet Hemp e Cidade Negra, que, na década de 1990, seguraram a bandeira do rock;, ressalta Pitty. Ela admite que foi ouvindo Raul Seixas e a turma dos anos 1980 que percebeu a possibilidade de fazer rock com letras em português.

O repórter viajou a convite da Nivea.

"Minha alegria é grande por estar nesse projeto representando bandas como Raimundos, Planet Hemp e Cidade Negra, que, na década de 1990, seguraram a bandeira do rock"
Pitty, cantora

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação