Tragédia no crossfit abre novo alerta

Tragédia no crossfit abre novo alerta

Aluno de 35 anos sofre parada cardiorrespiratória após aula de crossfit, no Park Way. A empresa não tem alvará de funcionamento, mas está em dia com a documentação exigida pelo Conselho de Educação Física

» CAMILA COSTA » THIAGO SOARES
postado em 02/03/2016 00:00
 (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)



Jovem, cheio de energia e apaixonado por esportes. Roberval Ferreira de Souza Júnior, 35 anos, morreu na noite da última segunda-feira, durante uma atividade física de alto rendimento. Ao terminar um treino na academia Crossfit Selva, no Park Way, passou mal e não resistiu. Apesar de a academia estar com toda a documentação exigida pelo Conselho Regional de Educação Física da 7; Região (Distrito Federal) em dia, a prática não poderia ser realizada naquele endereço. A Norma de Gabarito da região proíbe estrutura comercial no local. Técnicos da Agefis visitarão o prédio nos próximos dias, e o proprietário poderá ser notificado. A 4; Delegacia de Polícia (Guará) investiga o caso, tratado como morte por causas naturais.

O enterro de Roberval ocorreu ontem à tarde, no Cemitério Campo da Esperança. ;Ele era aquele boa-praça, estava sempre feliz, muito gente fina. Mesmo sendo grandão, lutador, você nunca ia vê-lo em briga. Era um apaziguador, de coração bom. Uma grande perda;, lamenta o amigo Eduardo Lima Barreto, 35 anos. Alguns participantes da cerimônia estavam vestidos com a camiseta do Vasco da Gama, time do coração do atleta. Uma bandeira do clube carioca foi colocada sobre o caixão.

A academia ficará fechada até a próxima segunda-feira, em sinal de luto. Em nota, o dono lamenta ;profundamente o falecimento do aluno e informa que tomou todas as providências cabíveis para evitar o ocorrido;. Descreve, ainda, os procedimentos de emergência, que incluíram atendimento por empresa particular de assistência médica, pelos bombeiros e pelo Samu. Segundo a academia, antes de os profissionais chegarem, uma aluna, médica, fez os primeiros socorros, mas isso não impediu a parada cardiorrespiratória.

Roberval morreu após uma aula que mescla treino aeróbico com levantamento de peso e se popularizou no Brasil nos últimos anos. A causa do óbito ainda não foi esclarecida. Os familiares aguardam o resultado do Instituto de Medicina Legal (IML). No caso do crossfit, por combinar atividades convencionais de academias com exercícios aeróbicos, é possível, ao mesmo tempo, perda de peso e ganho de massa muscular. A modalidade de alta intensidade suprime até mesmo as pausas constantes dos programas de musculação. Desta forma, promove a queima rápida de calorias.

O cardiologista do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF) Roberto Bentes Albuquerque aconselha que pessoas com histórico de morte súbita ou infarto na família, com doenças assintomáticas, com alto risco vascular ou sedentárias façam teste de esforço antes de iniciar qualquer atividade física. ;O exame avalia a presença de alterações em eletrocardiogramas, que podem indicar isquemia, elevação de comportamento arterial ao esforço e comportamento da frequência cardíaca;, detalha.

Atestado médico

A vice-presidente do Cref7, Nicole Azevedo, informou que, no ano passado, 12 estabelecimentos do ramo foram interditados por falta de documentação. O Selva está com a anuidade e o certificado de pessoa jurídica na legalidade. Exigências como a presença de um responsável técnico e de professores e estagiários registrados também são cumpridas. A fiscalização ocorre três vezes por ano no DF. ;Avaliamos absolutamente tudo, e o Selva está em dia;, diz Nicole.

Um dos controles de saúde nas academias foi suspenso em 2015 ; o atestado médico. Um projeto de lei do distrital Wellington Luiz acabou com a obrigatoriedade de esses estabelecimentos exigirem o documento. À época, o parlamentar afirmou que a exigência afastava a população dos exercícios.

Para o Cref7, a exigência do atestado não interfere no desempenho. ;Ele diz se naquele momento ou por um determinado período de tempo a pessoa está apta, mas, hoje, a vida moderna e o estresse podem mudar a condição muito rápido;, avalia Nicole.

Colaboraram Hellen Leite
e Marianna Nascimento


A vítima


Roberval Ferreira de Souza Júnior

; Tinha 35 anos
; Era casado desde 2010
; Não tinha filhos
; Era o caçula de quatro irmãos
; Trabalhava como representante farmacêutico
; Torcedor fanático do Vasco
; Gostava de praticar esportes, como musculação e judô

Três perguntas para
Ricardo Molina, perito criminal, especialista em morte súbita e professor da Unicamp

Quando praticados em excesso, os exercícios físicos podem levar
a um mal súbito ou agravar um problema de saúde crônico?

Sim. A modalidade crossfit envolve ações físicas de alta intensidade, que exigem bastante e pressupõem um condicionamento físico muito bom. Dependendo de certas condições, o excesso pode provocar parada cardíaca. Observe-se que mesmo atletas treinados e submetidos a frequentes checapes podem, dependendo do esforço, serem vítimas de uma morte súbita.

O crossfit é uma atividade física
intensa. Existem contraindicações?

A princípio, qualquer um com bom condicionamento físico pode praticar. A intensidade e a duração dos exercícios, entretanto, devem ser reguladas de forma mais fina por meio de exames prévios feitos pela academia ou por quem vai orientar as atividades.

Quais cuidados a pessoa
deve ter ao praticar o crossfit?

Quem deve tomar cuidado é a academia. Obrigatoriamente, a academia deve realizar uma bateria de exames antes de recomendar esta ou aquela atividade. Em especial, as condições cardiorrespiratórias devem ser avaliadas com bastante atenção. Mas é importante ressaltar que o acompanhamento médico não garante que uma parada cardíaca não possa ocorrer, como demonstram os diversos casos de atletas (do futebol, em especial) que morrem repentinamente, embora, aparentemente, não sofram de nenhum mal. Algo semelhante pode ocorrer com a reação a algumas drogas. Uma pessoa pode não ter histórico de reação adversa a alguma droga (um anestésico, por exemplo), mas, certo dia, em função de condições ainda não totalmente compreendidas pela medicina, sofrer inesperadamente um choque anafilático.

Memória

2015
30 de setembro

Um homem morreu em decorrência de um golpe de jiu-jítsu conhecido como ;mata-leão;. Napoleão José Alves, 32 anos, praticava a modalidade em Ceilândia, no dia 21. Segundo a família, ele foi levado a um hospital público por dois dias consecutivos e não recebeu atendimento, pois o caso não era considerado grave. A vítima teve um AVC cinco dias depois.

2014
16 de junho

O diretor da academia Runway André Padilha morreu, aos

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação