Lula nas mãos do Supremo

Lula nas mãos do Supremo

Tribunal analisa pedido do ex-presidente para unificar investigações sobre sítio em Atibaia (SP) e tríplex no Guarujá (SP)

JOÃO VALADARES
postado em 02/03/2016 00:00
 (foto: Facebook/Reprodução)
(foto: Facebook/Reprodução)

O futuro sobre quem vai investigar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Lava-Jato está nas mãos da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber. Ontem, em nova petição, a defesa do petista solicitou à ministra que suspenda os procedimentos investigatórios a cerca do tríplex, no Guarujá, e do sítio em Atibaia, ambos em São Paulo, até que a Corte determine que vai cuidar do caso. Atualmente, o Ministério Público Estadual de São Paulo e o Ministério Público Federal tem procedimentos instaurados para apurar as denúncias de favorecimento ao ex-presidente.

A força-tarefa da Lava-Jato no Ministério Público Federal (MPF) no Paraná diz que possui uma investigação para apurar se Lula recebeu propina de empreiteiras investigadas na operação inclusive ;durante o mandato; dele, entre 2003 e 2010. A suspeita é de que parte desses subornos foi materializada justamente com imóveis em Atibaia (SP) e Guarujá (SP). Ontem, em entrevista ao Correio, o advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin, explicou o procedimento encaminhado ao STF. ;Nós só rebatemos as informações que apontavam que os membros do Ministério Público Federal (MPF) poderiam continuar as investigações. Há duas investigações sobre o mesmo fato. Defendemos que a investigação é sobre duas propriedades privadas em São Paulo e, por isso, quem deve investigar é o Ministério Público de São Paulo;, declarou.

Ele reforçou que o ex-presidente não vai depor amanhã. ;O ex-presidente já encaminhou todas as explicações por escrito. A lei faculta isso;, disse. Os advogados informaram ao STF que ;é descabido e censurável a afirmação de que haveria suspeita de que o ex-presidente Lula teria recebido vantagens ilícitas durante o ;mandato presidencial;, pois não há qualquer elemento concreto que possa dar suporte a essa afirmação, senão um exacerbado entusiasmo associado a um pensamento desejoso;, alega.

Propinoduto
A apuração suspeita que as propinas foram recebidas durante o mandato de Lula e em um contexto de corrupção na Petrobras. ;As provas são no sentido de que os fatos em apuração, além de reproduzirem a tipologia criminosa de lavagem de capitais já denunciada, envolvem José Carlos Bumlai, executivos da construtora Odebrecht e da construtora OAS, todos investigados e muitos dos quais já denunciados no esquema de corrupção que assolou a Petrobras.;Os procuradores dizem ser ;importante ressaltar; que ;parte das vantagens foram supostamente auferidas pelo suscitante (Lula) durante o mandato presidencial;. Esse fato, sozinho, justificaria a investigação no Ministério Público Federal. De acordo com o MPF, a apuração na Promotoria de São Paulo diz respeito a ;transferências de empreendimentos da Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) para a OAS, em detrimento dos cooperados;.

Ontem, em nota, o Ministério Público de São Paulo afirmou que o promotor de Justiça Cássio Conserino não fará novas intimações ao ex-presidente e sua mulher, Marisa Letícia. ;O promotor de Justiça Cássio Conserino informou que o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e a ex-primeira-dama Marisa Letícia, assim como qualquer investigado, não serão conduzidos coercitivamente, uma vez que eles podem não querer exercer a autodefesa. Informou também que não haverá novas intimações dessas pessoas;, atesta o comunicado.


;Há duas investigações sobre o mesmo fato. Defendemos que a investigação é sobre duas propriedades privadas em São Paulo e, por isso, quem deve investigar é o Ministério Público de São Paulo;
Trecho de petição feita pela defesa de Lula


Com o nome dos netos
Além do barco comprado pela mulher, Marisa Letícia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva guarda dois pedalinhos no sítio em Atibaia (SP), batizados com os nomes de dois dos netos do casal, Arthur e Pedro. O petista é investigado por ocultação de patrimônio envolvendo a propriedade e um tríplex no Guarujá (SP). O primeiro está em nome de dois sócios de um dos filhos de Lula. O último, consta como propriedade da construtora OAS, investigada no Petrolão. O ex-presidente nega ser o dono oculto de ambos. Amigo de Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai teria pagado parte da reforma do Sítio ; que teria sido tocada pela Odebrecht. Em relação ao caso, o Instituto Lula admitiu em nota a compra dos dois brinquedos. ;Os pedalinhos foram adquiridas por dona Marisa, que também adquiriu uma canoa de alumínio. Lula e dona Marisa não são donos do sítio, propriedade de amigos que ofereceram ao ex-presidente e dona Marisa um local e descanso que pudessem frequentar.;



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação