Intimado, Coronel Nunes não deve dar as caras no Senado

Intimado, Coronel Nunes não deve dar as caras no Senado

Gabriela Ribeiro Especial para o Correio
postado em 02/03/2016 00:00

Marcada para hoje, a segunda visita do presidente em exercício da CBF, Coronel Nunes, à CPI do Futebol deverá ser reagendada. Sob alegação de conflitos de data, o mandatário da Confederação Brasileira de Futebol só deve voltar à plenária comandada por Romário (PSB-RJ) se receber outra convocação.

Para o depoimento de hoje, a comissão não pediu um novo convite para o atual presidente, mas reciclou um requerimento aprovado no ano passado. Nunes foi chamado com o mesmo documento que o trouxe para depor em outubro. A CBF considerou a atitude uma manobra indébita dos membros da CPI.

Quando depôs no Senado no fim de outubro, Nunes falou apenas uma vez em uma sessão de quase duas horas. Na ocasião, discorreu sobre o futebol paraense ; do qual é presidente da federação ; e falou sobre o legado que a Copa do Mundo deixou para Belém, que não recebeu nenhum jogo. Nenhum senador fez perguntas a ele.

Mesmo assim, a CBF diz que Coronel Nunes está disposto a vir a Brasília, desde que não seja em uma semana tão atribulada. No calendário do presidente, consta a convocação da Seleção Brasileira amanhã e da Seleção Olímpica na sexta. Além disso, Nunes deve participar da reunião dos conselhos arbitrais das séries A, B, C e D.

Nova CPI

Apelidada de ;CPI da Fifa;, uma nova comissão para investigar o futebol foi instaurada ontem pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Antes mesmo da reunião de lideranças na tarde de ontem, Cunha já havia indicado o presidente da comissão, que será Laudívio Carvalho (PMDB-MG). O parlamentar não tem proximidade alguma com o esporte.

Quem colheu as assinaturas para criação da CPI no ano passado foi João Derly (REDE-RS). A ideia inicial era de uma comissão mista no Congresso, mas o plano foi frustrado quando o processo correu mais rápido no Senado e Romário tomou a frente das investigações. ;Tinha uma ideia de que seria prejudicial a Câmara estar junto por ter alguns tentáculos da CBF na Bancada da Bola;, explicou o deputado ao Correio.

Entre os parlamentares, havia a conversa de que o relator também foi direcionado e deve ser Jovair Arantes (PTB-GO). Além de diretor do Atlético-GO e aliado da CBF, o deputado é visto como o líder da Bancada da Bola. Na Câmara, o deputado é líder do PTB e apontado como um possível substituto de Cunha, caso ele seja afastado do mandato, devido às denúncias da Procuradoria-Geral da República.

O ex-presidente interino da CBF Marcus Vicente (PP-ES), é outro deputado que disputa o cargo. Os integrantes deverão ser definidos na próxima semana.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação