Unidos pelo mesmo sonho

Unidos pelo mesmo sonho

Para conseguir participar de um campeonato de caratê na Irlanda, irmãos de 10 e 12 anos precisam de ajuda financeira. Inseparáveis, as crianças treinam diariamente para conquistar mais uma medalha. Despesas para a viagem são de R$ 30 mil

MARIANNA NASCIMENTO ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 06/03/2016 00:00
 (foto: Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press)



Quem vê, todos os dias, as duas inseparáveis crianças com uniforme escolar pegando o ônibus das 6h, que parte de Samambaia em direção a Taguatinga, nem imagina o quanto essa união já rendeu conquistas para os irmãos. Aos 10 e 12 anos, respectivamente, Marcos Vinícius e Maria Eduarda dos Santos são donos de um acervo que guardam em duas sacolinhas de plástico e precisam de esforço para carregar: ela ganhou 26 medalhas em competições de caratê locais, regionais, nacionais e internacionais e ele, 22. Assim como no ônibus para a escola, nas aulas e nos treinos, eles participaram juntos da maioria das disputas. Agora, mais unidos que nunca, o objetivo dos dois está do outro lado do globo: o Campeonato Mundial de Caratê Interestilos. Este ano, o evento será em junho, na cidade de Dublin, na capital irlandesa.

A família não tem condições de arcar com as despesas, que chegam a quase R$ 30 mil (veja quadro). O valor é correspondente ao pacote oferecido pela Confederação Brasileira de Karate Interestilos (CBKI) para levar filhos e mãe à Irlanda. Segundo Valéria de Jesus, a mãe, a Secretaria de Esportes do Distrito Federal, por meio do programa Compete Brasília, ofereceu as passagens, mas a CBKI não fornece os outros itens do pacote de forma separada. ;Eles nos disseram que, se fôssemos para a Irlanda com as passagens da secretaria, não poderíamos aproveitar a alimentação, a hospedagem e os outros serviços que os outros atletas teriam, e ficaríamos perdidos em um país estranho.; A dona de casa conta que preferiu não arriscar.

A alternativa é buscar patrocínio de empresas, fazer vaquinhas na internet e pedir apoio de colegas próximos, como ocorreu em outra oportunidade. Mas, até agora, a arrecadação não prosperou. ;Já aconteceu de eu tentar mandá-los para um mundial em Las Vegas, mas não consegui juntar a quantia ou doações suficientes;, conta Valéria.

De berço
A mãe de Marcos Vinícius conta que ele praticamente trocou as fraldas pelo tatame. Ainda bebê, aos 2 anos, começou a treinar na escola onde estudava com a irmã, em Taguatinga. Não demorou para que Maria Eduarda, que fazia aulas de jazz, se inspirasse no irmão e desse início à ainda curta, mas frutífera carreira de carateca. ;Eu mesma escolhi trocar a dança pela luta e não me arrependi. No caratê, aprendi várias outras coisas, como coordenação motora e disciplina. Isso me ajudou com as notas na escola e a obediência em casa;, conta a menina. Para Marcos Vinícius, o benefício maior veio na forma de amizades. ;A grande maioria das pessoas que são minhas amigas hoje, eu conheci nas artes marciais.;

Marcos e Maria discordam em vários assuntos, como quem é mais estudioso ou mais obediente em casa, mas são unânimes em relação à competição mais marcante da vida de ambos: o Pan-Americano de Caratê Interestilos de 2015, na Argentina. Foi a primeira vez que eles pisaram em terras estrangeiras, o que rendeu boas histórias e uma experiência que, segundo os irmãos, mudou a vida de ambos. ;Pude conhecer vários atletas brasileiros de alto nível. Também tive contato com os de outros países, como chilenos e argentinos;, conta o garoto. Maria Eduarda lembra-se de momentos inusitados. ;Nenhum de nós sabia uma palavra de espanhol. Fomos ao restaurante almoçar, mas tudo o que conseguimos pedir foi um monte de batatas;, ri a menina.

Esforço e recompensa
A rotina é puxada, mas Valéria garante que os meninos não fazem corpo mole. ;Eles nunca faltam aos treinos. Não importa se tem prova na escola, trabalho, se faz chuva ou sol.; Às segundas, quartas e sextas-feiras, os lutadores acordam por volta das 5h15, se aprontam para a escola e esperam até que o ponteiro aponte exatamente às 6h13. ;Nem um minuto a mais ou a menos;, determina a mãe. ;Nessa hora, levo os dois à parada de ônibus, que passa às 6h20. É o tempo exato de sair de casa sem precisar esperar muito no ponto;, explica Valéria, referência de disciplina para os filhos. Eles ficam das 7h às 11h45 na escola. Chegam em casa às 12h30 e o tempo livre, até as 19h30, é dividido entre descanso, dever de casa, brincadeiras e organização da casa. Às 20h, voltam ao treino, que segue até as 23h.

Na próxima semana, começa uma etapa mais intensiva dos treinos, que terão o horário estendido. O tempo livre vai ser menor e as horas de sono também, mas, no apartamento modesto de dois quartos, em Samambaia, não se ouvem reclamações: os pequenos atletas estão ainda mais satisfeitos e prometem se empenhar. ;A recompensa é conseguir participar de um grande campeonato;, diz Marcos Vinícius. ;E saber que fizemos nosso melhor;, completa a irmã.




Rifa
Em junho do ano passado, o Correio contou a história dos dois irmãos que buscavam a oportunidade de lutar no Campeonato Pan-Americano de Karatê Inter-stilos, na Argentina. A mãe, Valéria de Jesus, rifou um celular e conseguiu arrecadar R$ 3,5 mil para a viagem ; o valor do bilhete era R$ 5.


Para ajudar
Valéria de Jesus ; 8267-9337 ou 8476-6506
Caixa Econômica Federal ;
Conta-poupança
Agência 1556
Operação 013
Conta 21631-1

Na internet
facebook.com/competidoresdf
kickante.com.br/campanhas/mundial-de-karate-na-irlanda


Currículo dos atletas
Confira as competições que renderam medalhas para os irmãos caratecas:

Disputas em que os dois foram medalhistas

Pan-Americano de Karatê Inter-stilos ; julho de 2015, Argentina

Zonal Centro-Oeste ; abril de 2015, Goiânia (GO)

Brasília Karate Championship ; abril de 2014, Brasília

Pan-Americano de Karatê ; julho de 2013, Guarujá (SP)

Zonal Centro-Oeste ; abril de 2013, Anápolis (GO)

Gran Prix de Karatê Interestilos ; agosto de 2013, Brasília

Copa Brasiliense de Karatê Interestilos ; 2013, Brasília

Campeonato Brasileiro ; 2013, Fortaleza (CE)

Campeonato Brasiliense ; 2012, Brasília

Campeonato Brasileiro ; 2012, São Paulo

Disputas em que apenas Maria Eduarda foi medalhista

Campeonato Brasileiro ; 2015, São Paulo

4; Olimpíada de Ceilândia ; 2015, Brasília

Campeonato Sul-Americano ; maio e junho de 2014, São Paulo

Campeonato Brasileiro ; setembro de 2014, Brasília



No lápis
Para competir no mundial de caratê, a família de Marcos Vinícius e Maria Eduarda precisam arcar com as seguintes despesas:

Hospedagem, passagens, seguro viagem (para os dois atletas e a mãe): R$ 17.157

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação