Casa abandonada abriga foco de Aedes

Casa abandonada abriga foco de Aedes

postado em 06/03/2016 00:00
 (foto: Ana Carolina Miranda/Divulgação)
(foto: Ana Carolina Miranda/Divulgação)



Moradores da QI 3 do Lago Sul estão preocupados com possíveis focos do mosquito Aedes aegypti ; transmissor da dengue, do zika vírus e da chicungunha ; em uma casa abandonada. O imóvel foi colocado à venda há cerca de 2 anos e, desde então, não recebe manutenção nem limpeza. A piscina do lote acumula água suja, o quintal está descuidado, com mato alto, assim como o piso da área externa. Na varanda, entulho, como móveis usados amontoados.

A servidora pública Ana Carolina Miranda, 37 anos, que mora na quadra há pouco mais de 1 ano, afirmou que a situação se tornou problema para quem vive na mesma rua. Segundo ela, as pessoas estão aborrecidas com a possibilidade de contrair as doenças. Há 45 dias, a servidora procurou a Vigilância Ambiental do Lago Sul e foi informada por uma das atendentes sobre a necessidade de alvará para a entrada de técnicos em casas abandonadas.

;Ela disse que não tinha ainda o documento exigido e falou que precisaria ter também um chaveiro e o acompanhamento de equipes da Agência de Fiscalização do DF (Agefis). Eu até me ofereci para pagar o chaveiro, porque nós estamos muito preocupados com essa situação;, disse Ana Carolina. De acordo com ela, a vizinhança está tensa porque, há algum tempo, uma construção abandonada na QI 27 foi a causadora da propagação de doenças entre os moradores.

Sem receber nenhum retorno desde o dia em que procurou o órgão, a servidora pública voltou a fazer contato com a Vigilância Sanitária na última terça-feira. ;A mesma atendente disse que já tem o alvará para entrar na residência, mas que, agora, não precisa do acompanhamento de equipes da Agefis, mas sim da Polícia Militar. A questão do chaveiro fica a cargo da Administração do Lago Sul;, lembrou.

Em nota, a Secretaria de Saúde disse que a Diretoria de Vigilância Ambiental vai verificar o atendimento dado à denúncia recebida e pedirá autorização judicial para que os agentes possam entrar na casa fechada. Eles farão a inspeção e o combate ao mosquito Aedes aegypti. O órgão garantiu que, ;assim que for concedida a autorização judicial, a pasta montará força-tarefa envolvendo diversos órgãos para que o trabalho seja realizado;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação