O treino certeiro

O treino certeiro

O Teste de Aptidão Física (TAF) é um dos mais complicados para os concurseiros. Especialistas garantem que o segredo para o sucesso é começar exercícios com, no mínimo, três meses de antecedência

postado em 06/03/2016 00:00
 (foto: Tatyane Mendes/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Tatyane Mendes/Esp. CB/D.A Press)

TAF. A sigla para Teste de Aptidão Física é pequena, mas causa grande medo nos concurseiros. A avaliação, geralmente, é uma das etapas finais de seleção que separa o candidato do cargo dos sonhos. E para quem ficou um longo período com a cara nos livros, a falta de atividade física pode atrapalhar na hora da prova de fogo. O erro de muitos candidatos é esperar a aprovação nas fases escritas para começar a pensar no condicionamento do corpo.

Segundo especialistas, a preparação para o TAF deve caminhar lado a lado com os estudos. Para César Marra, tenente-coronel do Exército e coordenador técnico da AprovaTAF, empresa de consultoria em preparação física para concursos, o tempo necessário para se preparar varia de três a seis meses, dependendo da condição do candidato. ;Se for um sujeito ativo e saudável, podemos dizer que de três a quatro meses serão suficientes. No entanto, se alguém que tiver alto percentual de gordura e for sedentário, necessitará de, no mínimo, 6 meses.;

Cristiano Silva, especialista em segurança pública e dono do site policial.org, afirma que treinar a resistência física é o ponto mais essencial da preparação. Condições climáticas na hora do exame podem atrapalhar o desempenho do candidato. Ter resistência é fundamental para superar essas adversidades;, argumenta. O educador físico Eduardo Schneider acredita que não é necessário se preocupar tanto com o vestuário. ;Os candidatos não são atletas de alta performance, por isso as roupas não influenciam tanto. Só é preciso ter tênis, camisa, bermuda/calça adequados, o principal é a dedicação.;

Parte importante da preparação é o condicionamento psicológico, que é trabalhado durante o treinamento diário. ;Quando você pratica regularmente vai ganhando confiança e segurança no que está fazendo; destaca o profissional. Outros erros apontados são se exercitar de maneira incorreta, baseando-se em dicas infundadas da internet, e desconsiderar o treino físico como estudo. Em relação à alimentação, Eduardo afirma que, se o candidato se alimenta de forma regular, não precisa se preocupar em mudar o cardápio.

Diagnóstico

Segundo César Marra, o único teste que está presente em todos editais é o de corrida de 12 minutos (ou de 2.400 metros). É uma prova de resistência que avalia a condição cardiorrespiratória do candidato. Outros bastante cobrados são o exercício de flexão na barra, o abdominal e de flexão de braço no solo. ;Os que mais reprovam são a corrida de 12 minutos e a flexão na barra fixa.; Um fator que acaba também atrapalhando é o grande percentual de gordura corporal que algumas pessoas acumulam, condição que prejudica o bom condicionamento físico.

Cristiano Silva complementa afirmando que o teste de barra exige uma resistência muscular que não se adquire a um curto prazo, um mês, por exemplo. ;Muitos reprovam porque o cansaço, provindo do esforço físico, diminui ainda mais as chances de conseguir êxito nos casos em que a banca permite a segunda tentativa.;

Schneider comenta que o edital do teste já é o gabarito do exame e os candidatos precisam se guiar por ele. ;Está escrito o que é preciso fazer, então é essencial fazer um simulado com os testes previstos para que, com base no resultado, seja feito um diagnóstico de aptidão física e posteriormente um planejamento de treino;, explicou.

Treinando a aprovação

Mesmo sem o edital ter sido publicado, Nina Gasparini, 28 anos, já se prepara há seis meses para o concurso da Polícia Civil, autorizado em dezembro de 2014. ;Eu faço os exercícios que costumam cair no TAF da polícia e musculação. Procurei orientação sobre como treinar de forma apropriada e tenho me saído bem;, disse.

Depois de reprovar no teste físico da Polícia Militar, Daniele Cardoso, 31 anos, aprendeu que não dá para passar começando a praticar em cima da hora. ;Eu era sedentária, fazia aquela caminhada três vezes na semana e olhe lá. Um mês antes da prova, fui começar a treinar e, pelo despreparo, não passei;, relembra. Com a lição aprendida, agora ela se prepara para o concurso da Polícia Federal e da Câmara Legislativa, que ainda não foram lançados. ;Procurei a ajuda de um profissional e estou treinando cinco vezes por semana.


"Quando você pratica regularmente, vai ganhando confiança e segurança no que está fazendo;
Eduardo Schneider, educador físico



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação